Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

segunda-feira, 24 de julho de 2017

1801 - Formaturas de Farley Chaves e Émile Meira e aprovação de Adson Júnior na OAB

As boas notícias no campo da educação em Espinosa não param de chegar até mim. Tive conhecimento há pouco, pelo Facebook, de que mais dois jovens espinosenses bastante dedicados aos estudos estão comemorando, junto aos seus familiares e amigos, a conquista da formatura em curso superior.
Um desses jovens é a Émile Meira Nogueira, filha dos meus amigos Éwerton Caldeira Nogueira e Júnia Tanúsia Antunes Meira, que está se formando em Letras/Português pela Unimontes, Campus de Espinosa. Mais uma representante da minha eterna Rua da Resina, o que muito me orgulha.


O outro jovem é o Farley Chaves, filho dos meus amigos Aílton Chaves e Cordelúcia Ramos Batista Chaves, que está se formando em Direito pelas Faculdades Santo Agostinho.


Outra ótima notícia a ser comemorada é a aprovação, no exame da OAB - Ordem dos Advogados do Brasil, do jovem Adson Júnior, filho dos meus amigos Adson Brant e Rita de Cássia Gonçalves Lopes. 


A todos esses jovens inteligentes e dedicados ao estudos, e aos seus pais e demais familiares, o meu respeito e consideração por essas importantes conquistas. Que eles sejam vitoriosos nas suas carreiras profissionais e felizes nas vidas privadas, sempre tendo como bússola a ética, a honradez e a humildade. Que Deus os proteja!
Um grande abraço espinosense.

Um breve aviso. Resido atualmente distante de Espinosa, em Montes Claros, o que me impede, muitas vezes, de tomar ciência de vitórias educacionais como essas, de muitos outros jovens de talento e que, infelizmente, por desconhecimento, não publico aqui no nosso blog. Assim, quero deixar humildemente este espaço aberto para que eu seja notificado de formaturas de jovens espinosenses, o que me dará enorme satisfação em publicar. Basta enviar as informações de nome, filiação, curso e foto para o meu e-mail: eustaquiotolentino@gmail.com. Estarei sempre disponível e com o maior prazer em divulgar tão relevantes conquistas.    

domingo, 23 de julho de 2017

1800 - Jornalista Luiz Ribeiro é mais uma vez premiado

Luiz Ribeiro dos Santos é jornalista, e dos melhores e mais competentes do país. Nasceu em Francisco Sá, em família simples. Começou sua carreira jornalística no extinto O Jornal de Montes Claros. Passou pelo Jornal de Notícias e Hoje em Dia e atualmente trabalha como repórter para o Estado de Minas/Portal Uai e para o Correio Braziliense. Estudou no Colégio Biotécnico de Montes Claros e formou-se em Comunicação Social/Jornalismo na instituição de ensino Faculdades Unidas do Norte de Minas - FUNORTE. Fez pós-graduação na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Também é formado em Administração pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e pós-graduado em Administração Pública pela Fundação João Pinheiro (BH/MG). 
Luiz Ribeiro é um sujeito tranquilo, um tanto tímido e exemplarmente humilde. É casado com a também jornalista Cida Santana, competente profissional que foi editora de esportes da InterTV Grande Minas e hoje trabalha para o Sebrae. Tem dois filhos, Cecília Santana e Rafael Luiz Santana Ribeiro. Além de jornalista respeitado e muito premiado por seus ótimos trabalhos, Luiz Ribeiro é parceiro de peladas nos campos da AABB de Montes Claros, onde apresenta os seus dotes futebolísticos na posição de lateral-direito. É um sujeito religioso, de bom coração e de ótimo caráter.
Luiz Ribeiro é um dos mais premiados jornalistas do país, conforme o site Portal dos Jornalistas, onde ele aparece na 63ª posição no ranking, à frente de nomes bastante conhecidos do jornalismo nacional como Augusto Nunes, Carlos Dornelles, Elio Gaspari, Paulo Vinícius Coelho, Jânio de Freitas, Ricardo Noblat, Mino Carta, Mílton Neves, Ancelmo Góis, Merval Pereira Filho, Luís Nassif, Cléber Machado, Zuenir Ventura, Heródoto Barbeiro, Oldemário Touguinhó, Alberto Dines, Ana Paula Padrão, William Waack, César Tralli, Carlos Chagas e Mauro Naves. Ganhou quatro Prêmios Esso, o mais conceituado do jornalismo brasileiro. Com suas reportagens individuais e em equipe nas áreas da economia, desenvolvimento social, meio ambiente, saneamento básico e qualidade de vida, ganhou vários outros prêmios nacionais e regionais, cerca de 47, entre eles os da Embratel, Petrobras, Sebrae, Fiat Allis/New Holland, Airton Senna de Jornalismo, CNI, Allianz, Líbero Badaró e Délio Rocha de Interesse Público. 


Há poucos dias, em 19 de julho, ele foi mais uma vez premiado, desta vez no Prêmio BNB de Jornalismo em Desenvolvimento Regional - Edição 2017, pela série de reportagens "Mulheres de Fibra". As matérias foram publicadas no jornal Estado de Minas entre os dias 29 e 31 de agosto de 2016 e mostram histórias de sucesso de mulheres que, apesar das dificuldades de morar em lugares carentes e sem muitas perspectivas de trabalho, batalham pela sobrevivência construindo soluções com os recursos naturais disponíveis no Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha. Com os seus espíritos empreendedores e sua determinação em buscar melhores condições de vida, essas bravas mulheres produzem artesanato, remédios caseiros e processam produtos da região como o pequi, o buriti e outros frutos do mato para gerar renda e melhorar a sua qualidade de vida, dos seus familiares e da comunidade em que vivem. 


Também foram premiados nesta edição do concurso:

Nacional Iconografia: "À espera de Francisco", de Fabio Lima, para O Povo/CE;
Nacional TV: "Campo além da crise – Empreendedorismo na Bahia", de Matheus Batista Boa Sorte e equipe, da TV Aratu/BA;
Nacional Rádio: "Gurinhém, Paris e Japão", de Hebert Araujo, para a CBN João Pessoa;
Nacional Internet: "O coletivo tá na moda", de Jéssica Welma de Assis Gonçalves, para a Tribuna do Ceará;
Regional I: "Como será a transposição", de Luciana Pimenta, Cláudio Ribeiro, Gil Dicelli, Guabiras e Pedro Turano, para O Povo;
Regional II: "Novas sertanejas", de Aline Guedes, para a BandNews FM/PB.
Extrarregional: "Mulheres de fibra", de Luiz Ribeiro dos Santos, para o Estado de Minas


Parabéns ao brilhante jornalista Luiz Ribeiro por mais essa importante conquista na sua já tão premiada carreira profissional. Nós, cidadãos do Sertão das Minas Gerais, ficamos orgulhosos por contar com sua presença e atividade aqui em Montes Claros.
Um grande abraço espinosense.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

1799 - Mais um Dia do Amigo

Amigo, tesouro para se comemorar em várias datas durante o ano aqui no Brasil. Tem o Dia do Amigo do Facebook no dia 4 de fevereiro. Tem o Dia do Amigo no dia 18 de abril. E tem o Dia Internacional da Amizade que se comemora no dia 30 de julho, daqui a 10 dias. Mas hoje, dia 20 de julho, também é dia de celebrar a amizade. Mesmo que eu não concorde muito com isso, pois entendo que todos os dias são dias do amigo, do pai, da mãe, da esposa, do filho, do amor, da paz, da harmonia e até do time preferido no futebol, estou registrando aqui essa data.
Amigo verdadeiro é aquele sujeito que lhe aceita do jeito que você é, com todas as suas virtudes e defeitos, que diz algumas verdades sobre você que são duras e difíceis de admitir e que está sempre disponível para celebrar suas conquistas e apoiá-lo nos momentos de dificuldade. Isso não quer dizer que tenha obrigação de lhe emprestar dinheiro ou concordar com suas ações negativas na vida.
Amigo é aquele sujeito que você estima profundamente sem no entanto esperar qualquer coisa em troca. E continua com esse apreço mesmo que o tempo e a distância os deixem separados. 
Para entendermos melhor o que significa um amigo, melhor deixar para os grandes pensadores, com suas frases cheias de sabedoria. Nem sei se realmente as autorias dessas frases são verdadeiras, mas são ideias interessantes mesmo assim, algumas sérias, outras cheias de ironia e bom humor.



A vocês todos, meus amigos e minhas amigas, o meu respeito e consideração pela sua pessoa e pelo carinho da sua amizade, que espero seja eterna.
Um grande abraço espinosense.




A amizade na visão dos pensadores:

"Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade." (Confúcio)

"Há duas espécies de chatos: os chatos propriamente ditos e os amigos, que são os nossos chatos prediletos." (Mário Quintana)

"Ter muitos amigos é não ter nenhum." (Aristóteles)

"Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia." (Friedrich Nietzsche)

"Aqueles que passam por nós não vão sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós." (Antoine de Saint-Exupéry)

"Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito." (Luis Fernando Veríssimo)

"Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar. Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende. Amigo a gente entende!" (Machado de Assis)

"A falta de confiança entre amigos é pecado que não pode ser repetido, sob pena de ser irremediável." (Friedrich Nietzsche)

"Nunca dê a prioridade pra quem te faz de opção." (Sergio Ianelli)

"Amigo é a pessoa que sabe tudo sobre você e ainda assim lhe quer bem." (Elbert Hubbard)

"Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles." (Vinicius de Moraes)

"Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente, os que só desconfiam - ou talvez nunca vão saber - que são meus amigos!" (Vinicius de Moraes)

"Amigos são anjos que não só nos ensinam a voar como também nos mostram a hora de pousar na realidade." (Michele Bertoletti)

"Não é amigo quem sempre busca a utilidade, nem quem jamais a relaciona com a amizade, porque um trafica para conseguir a recompensa pelo benefício e o outro destrói a confiada esperança para o futuro." (Epicuro)

"A amizade é como um círculo e como um círculo não tem começo nem fim." (Machado de Assis)

"Amizade é o encontro de duas solidões. Quando duas solidões se encontram, acontece a comunhão." (Rubem Alves)

"O amor e a amizade são como o eco: dão tanto quanto recebem." (Alexandre Herzen)

"É indigno de um homem honesto servir-se dos restos de uma amizade que termina, para satisfazer um ódio que começa." (François Fénelon)

"Quando um homem é bom amigo, também tem amigos bons." (Maquiavel)

"Num mundo que se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo." (Antoine de Saint-Exupéry)

"Elege para teu amigo o homem mais virtuoso que conheces." (Pitágoras)

"Se a todos fosse dado o poder mágico de ler nos pensamentos dos outros, suponho que o primeiro resultado seria o desaparecimento de toda a amizade." (Bertrand Russell)

"O melhor espelho é um velho amigo." (George Herbet)

"A amizade que acaba nunca principiou." (Públio Siro)

"Um amigo se faz rapidamente; já a amizade é um fruto que amadurece lentamente." (Aristóteles)

"A amizade é um amor que nunca morre." (Mario Quintana)

"Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos." (Sócrates)

"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor. (Joseph Addison)

"A verdadeira amizade é aquela que nos permite falar, ao amigo, de todos os seus defeitos e de todas as nossas qualidades." (Millôr Fernandes)

"A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro." (Platão)

"A amizade é um meio de nos isolarmos da humanidade cultivando algumas pessoas." (Carlos Drummond de Andrade)

"A melhor maneira de começar uma amizade é com uma boa gargalhada. De terminar com ela, também." (Oscar Wilde)

"A amizade é o conforto indescritível de nos sentirmos seguros com uma pessoa, sem ser preciso pesar o que se pensa, nem medir o que se diz." (George Eliot)

"A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia. É a inspiração espiritual que vem quando você descobre que alguém acredita e confia em você." (Ralph Waldo Emerson)

"Dos amores humanos, o menos egoísta, o mais puro e desinteressado é o amor da amizade." (Cícero)

"Não se pode ir longe na amizade sem se estar disposto a perdoar os pequenos defeitos um ao outro." (Jean de la Bruyere)

"No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos." (Martin Luther King)

"O uísque é o melhor amigo do homem: é um cachorro engarrafado." (Vinicius de Moraes)

1798 - A arte popular do Mestre Vitalino

O que começou como brincadeira de criança transformou-se com o tempo em uma arte admirada em todo o mundo. Foi modelando bois, cabras, porcos e outros animais comuns no Sertão que o menino Vitalino Pereira dos Santos, filho de lavradores e nascido na vila de Ribeira dos Campos, na cidade pernambucana de Caruaru em 10 de julho de 1909, tornou-se o respeitado artista da arte popular brasileira Mestre Vitalino. 
Suas criações em barro foram primeiramente vendidas na feira local até serem descobertas e se espalharem pelos grandes centros urbanos do país e posteriormente para o mundo. Suas esculturas mostram a vida no Sertão, com seus personagens marcantes e os animais que lá vivem, além das tradicionais festas e cenas cotidianas que preenchem a dura mas esperançosa vida dos sertanejos. Com sua técnica virtuosa o artista simples da roça conquistou a admiração de gente pelo mundo todo, inicialmente no Rio de Janeiro no ano de 1947, quando participou, ao lado de outros tantos artistas pernambucanos, de uma exposição de trabalhos em cerâmica organizada por Augusto Rodrigues. A partir daí, suas criações se espalharam pelo restante do Brasil e pelo mundo inteiro. 
Vítima de varíola, Mestre Vitalino morreu em sua casa no povoado do Alto do Moura no dia 20 de janeiro de 1963, aos 54 anos de idade, deixando sua esposa, seus seis filhos, dezenas de admiradores e discípulos da sua arte.
A casa simples em que morou no Alto do Moura tornou-se a Casa Museu Mestre Vitalino, criado em sua homenagem, com exposição de vários móveis, utensílios, ferramentas de trabalho e objetos de uso pessoal do artista. Suas obras estão espalhadas por outros museus e em poder de amantes da arte popular do país e do exterior. 
Um grande abraço espinosense.












domingo, 16 de julho de 2017

1797 - Virou rotina: Pathy campeã!

Antigamente, para nosso desgosto, o nome da nossa Espinosa só saía na mídia com as terríveis notícias da seca rigorosa que ainda insiste em nos afligir anualmente ou com casos eventuais de acidentes, assassinatos e enchentes, ou seja, notícias tristes e nada animadoras. Mesmo com todo o cenário negativo no país atualmente, as coisas melhoraram bastante em nossa terra querida. Vivemos tempos de esperança e de algumas ótimas notícias. E um elemento fundamental nesta mudança de paradigma é a nossa brilhante gigante do esporte, Ana Patrícia Silva Ramos, a Pathy. Mais uma vez a atleta espinosense de vôlei de areia coloca positivamente o nome de Espinosa no topo da mídia.
Neste domingo, Pathy e sua parceira sergipana Eduarda Lisboa, a Duda, conquistaram o Campeonato Mundial Sub-21 de Vôlei de Praia 2017 na cidade de Nanjing, na China. Aliás, elas se tornaram, na verdade, bicampeãs. Pathy e Duda chegaram ao bicampeonato e igualaram as conquistas de outras quatro atletas: as brasileiras Bárbara Seixas, Carol Solberg e Taiana, e a suíça Nina Betschart. O Brasil, campeão da edição passada, tornou-se o primeiro país a repetir a conquista nos dois naipes, também com a conquista da dupla masculina Adrielson/Renato (PR/PB), que venceram na final os russos Kramarenko e Ivanov por 2 sets a 0 (22/20, 21/17), em 40 minutos. O Brasil se mantém como o maior vencedor do Campeonato Mundial Sub-21 de Vôlei de Praia, agora com impressionantes 14 títulos, sendo 8 no feminino e 6 no masculino.
As duas jovens atletas brasileiras, Pathy e Duda, agora são integrantes do Exército Brasileiro, ambas no posto de 3º sargento. Jogando juntas em três torneios, elas jamais foram derrotadas, conquistando 3 títulos e 23 vitórias. Elas conquistaram mais este importante título com vitória nas quartas de final sobre as letãs Graudina e Kravcenoka por 2 sets a 0 (21/19 e 21/12); com vitória na semifinal sobre as americanas Plummer e Mirkovic por 2 sets a 0 (21/19 e 21/16); e com vitória na final sobre as russas Nadezda Makroguzova e Svetlana Kholomina por 2 sets a 0 (21/15, 21/13), em apenas 31 minutos de jogo.  As norte-americanas Kathryn Plummer e Milica Mirkovic ficaram com o bronze.   
Mais uma vez temos muito que nos orgulhar dessa garota dedicada, talentosa e humilde que dignifica pelo mundo o nome da nossa Espinosa, servindo de magnífico exemplo para toda a nossa juventude de que a prática esportiva é fator de desenvolvimento, evolução e saúde.
Valeu, grande Pathy! Estamos, como sempre, bastante orgulhosos de você, sempre torcendo pelo seu sucesso e pela sua felicidade. Que Deus lhe proteja em todos os momentos da sua vida!
Um grande abraço espinosense.  











Todos os campeões mundiais sub-21:

Masculino
2001 - França - Pedro Cunha/Anselmo (BRA)
2002 - Itália - Pablo Herrera/Raul Mesa (ESP)
2003 - França - Pedro Cunha/Pedro Solberg (BRA)
2004 - Portugal - Angel Amo/Inocencio Lario (ESP)
2005 - Brasil - Plavins/Samoilovs (LET)
2006 - Polônia - Bruno Schmidt/Pedro Solberg (BRA)
2007 - Itália - Giontella/Nicolai (ITA)
2008 - Inglaterra - Giontella/Nicolai (ITA)
2009 - Inglaterra - Kadziola/Szalankiewicz (POL)
2010 - Alanya - Garrett May/Sam Schachter (CAN)
2011 - Canadá - Popov/Samoday (UCR)
2012 - Canadá - Kantor/Losiak (POL)
2013 - Croácia - Allison/Guto (BRA)
2014 - Chipre - Michal Bryl/Kacper Kujawiak (POL)
2016 - Suíça - Arthur Lanci/George Souto (BRA)
2017 - China - Adrielson/Renato (BRA)

Feminino
2001 - França - Shaylyn/Maria Clara (BRA)
2002 - Itália - Juliana/Taiana (BRA)
2003 - França - Morozova/Shiryaeva (RUS)
2004 - Portugal - Taiana/Carol (BRA)
2005 - Brasil - Carol/Camillinha (BRA)
2006 - Polônia - Carol/Bárbara Seixas (BRA)
2007 - Itália - Lili/Bárbara Seixas (BRA)
2008 - Inglaterra - Van Iersel/Remmers (HOL)
2009 - Inglaterra - Brzostek/Kolosinka (POL)
2010 - Alanya - Roenicke/Ross (EUA)
2011 - Canadá - Betchart/Heidrich (SUI)
2012 - Canadá - Betschart/Verge-Depre (SUI)
2013 - Croácia - Kociolek/Gruszczynska (POL)
2014 - Chipre - Sophie Bukovec/Tiadora Miric (CAN)
2016 - Suíça - DUDA/ANA PATRÍCIA (BRA)
2017 - China - DUDA/ANA PATRÍCIA (BRA)

sexta-feira, 14 de julho de 2017

1796 - Precisamos de vocês: 4º Futebol Solidário

Meus amigos e minhas amigas internautas. 

Precisamos da sua ajuda e solidariedade. 

Este ano vamos realizar mais um evento FUTEBOL SOLIDÁRIO, a quarta edição. Como sempre, o evento pretende arrecadar fraldas geriátricas descartáveis (tamanho G), cestas básicas e kg de alimentos não perecíveis (exceto sal, farinha e fubá) para serem doados à instituição LAR DAS VELHINHAS, entidade beneficente aqui de Montes Claros que cuida de idosas em dificuldades, muitas delas completamente abandonadas pelos familiares. 
Pedimos encarecidamente a todos vocês que, se possível, arrecadem doações com seus familiares, colegas de trabalho e amigos, pois o Lar das Velhinhas está precisando e muito da nossa ajuda. As doações podem ser entregues a qualquer momento até o dia do evento, que acontecerá no SÁBADO, 5 DE AGOSTO, na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) de Montes Claros, a partir das 8 horas da manhã. Quem tiver o desejo de participar e não quiser ou não puder estar presente no dia do evento, pode deixar as doações na portaria da AABB ou mesmo conosco, a qualquer momento. 
Aos amigos que não puderem comparecer ou que moram distante, mas que quiserem colaborar com esta causa justa, doações em dinheiro poderão ser feitas em depósito na conta 95.149-8, agência 0104-X, do Banco do Brasil, em nome de Cléa Márcia. Todo o valor arrecadado será utilizado na compra de fraldas descartáveis. Logo após o evento publicaremos aqui a prestação de contas.
Além desta razão humanitária, que visa proporcionar dignidade e conforto àquelas senhoras que necessitam de apoio e carinho no desenlace das suas existências terrenas, o evento serve para lembrarmos dos nossos meninos que se foram tão precocemente e para reunir, abraçar e nos confraternizar com os amigos.
Nesta edição, devido à grave crise econômica por que passa o país, decidimos não confeccionar camisetas alusivas ao evento.


Como sempre, a programação será assim:
Local: AABB Montes Claros
Data: 5 de agosto de 2017 - Sábado
8 horas - Um momento de oração e acolhida
8h30 - OAB  x  MaxMin
9h30 - Futebol feminino
10h30 - Confronto entre amigos de André e Ricardo

Os amigos de André e Ricardo interessados em participar da partida de futebol society deverão confirmar sua presença na página do evento no Facebook. No dia do evento, deverão levar calções e meiões azuis ou pretos.   

Contamos com a sua solidariedade e auxílio nesta humilde missão. Antecipadamente agradecemos, de coração, a sua participação.
Um grande abraço e estejam sempre com Deus!


quinta-feira, 13 de julho de 2017

1795 - It´s only Rock and Roll, but I like it

Hoje é o dia do Rock and Roll! Criado no final dos anos 40 nos Estados Unidos, o som que imortalizou a guitarra ganhou o mundo, muito pela inventividade de Chuck Berry e seus seguidores. Junção de vários estilos de música, o Rock não tem uma data ou um disco definido como o início de tudo. Vários artistas deram a sua contribuição para que este maravilhoso e vigoroso estilo musical ganhasse a paixão do povo e se espalhasse rapidamente pelo mundo, influenciando não só a música, como também a moda, a linguagem, os estilos de vida, as atitudes e a visão de mundo. Mas a canção "Rock Around the Clock", gravada por Bill Haley e Seus Cometas, parece ter sido o efeito desencadeador do êxtase que contagiou definitivamente a juventude para a batida frenética do Rock. A partir daí vieram ícones imortais como Elvis Presley, Carl Perkins, Jerry Lee Lewis, Fats Domino, Chuck Berry, Little Richard, The Beatles, Rolling Stones e milhares de outros artistas e bandas de todas as tendências espalhadas pelo mundo inteiro.      
E é hoje, dia 13 de julho, o dia em que se comemora, aqui no Brasil, o Dia Mundial do Rock. A data escolhida para a comemoração refere-se ao dia 13 de julho de 1985, quando o inesquecível festival beneficente Live Aid, realizado para arrecadar fundos para erradicar a fome na Etiópia, aconteceu em Londres e na Filadélfia, de forma simultânea. Durante o evento, o baterista e ex-líder do Genesis, meu ídolo Phil Collins, deu a ideia para que aquela data passasse a ser o dia mundial do Rock. Só mesmo o Brasil acatou a sugestão.



Sou completamente apaixonado pelo Rock and Roll. Não a ponto de me vestir como roqueiro, deixar crescer o cabelo pixaim ou tatuar caveiras pelo corpo magrelo. Mas adoro a música e a sua força para mudar para melhor o mundo e a cabeça das pessoas, levando mensagens de amor, harmonia e protesto contra a realidade vergonhosa, injusta e violenta que se apresenta à nossa frente desde sempre. Tenho minhas preferências, como todo mundo. Entre elas estão as tradicionais e indispensáveis figuras dos Beatles, Rolling Stones, Pink Floyd, Led Zeppelin, Queen, Neil Young e Bob Dylan. Também adoro Metallica, Nirvana, Oasis, Pearl Jam, U2, Coldplay, Red Hot Chili Peppers, Prince, The Police, Sting, Genesis, Phil Collins, Eric Clapton, Yes, Supertramp, Dire Straits, Elton John, Guns N´ Roses, Scorpions, Bon Jovi, Van Halen, Foo Fighters, Eric Clapton, Eagles, Radiohead, R. E. M., Bruce Springsteen, Michael Jackson, Jimi Hendrix, Bee Gees, Bread, Alabama Shakes, Mumford and Sons e mais um tanto, sem falar nos brazucas Raul Seixas, Rita Lee, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Capital Inicial, Nenhum de Nós, Cazuza e Titãs.
Difícil mesmo seria escolher um vídeo de quaisquer desses monstros aí de cima para completar e ilustrar essa postagem sobre o universo do Rock. Então escolhi um vídeo bem legal e interessante sobre o assunto, mostrando de maneira divertida muitos dos astros roqueiros como se estivessem trocando opiniões e likes no Facebook, em uma fantástica viagem musical. Espero que gostem. E vida longa ao Rock!
Um grande abraço espinosense.


quarta-feira, 12 de julho de 2017

1794 - A impressionante espirituosidade brasileira

Caramba! Fazia tempo que não ria tanto assim. Hoje descobri um vídeo hilário publicado pelo meu amigo Roberto Lelis Stehling no Facebook, mostrando uma disputa de pênaltis em algum lugar na cidade de Macapá, capital do Amapá. A cena é completamente hilariante. Em um campo de terra batida como tantos outros em que já joguei bola na vida, as equipes do Cruzeiro de Repartição e do São Caetano de São Chico decidem a classificação para a fase seguinte da "Champions League" na disputa de pênaltis. E que disputa sensacional! Os cobradores foram vários: Cafuringa, Lourão, Gílson, Erivélton, Beiçola, Tóin de Adelaíde, Nego, Henrique, Édson, Isael, Francisco, Álisson, Denílson, Dildo, Baldo, Marcelo. A eficiência desses cobradores é que deixou a desejar, em contraponto ao desempenho espetacular dos goleiros Isael, do Cruzeiro, e Nego, do São Caetano.
Mas o que é extremamente engraçado é a atuação dos "profissionais" na narração da decisão nos pênaltis, com o espirituoso narrador não identificado e o competente comentarista Gonzales, "a fera, o maior de todos os tempos". Durante a narração, o locutor solta pérolas como essas: "Juizão Dudu, ele que é muito jovem e está nascendo cabelo agora";  "O juizão que não sabe ler";  "Sentar o sapato na branquela"; "O Gonzales, que já bateram 112 pênaltis nele numa única partida e ele defendeu todos os 111"; "A fera Henrique, ele que tem um histórico muito bom de errar pênalti"; "Já chegamos a 9 minutos de penalidades aqui na Champions League, tá mais longo que o jogo"; Respirou fundo, tirou as remelas do olhos"; "A torcida tá pedindo a moeda, Gonzales"; "Se perder, vai vender coentro"; até finalizar com "TV Sem Cultura, onde o futuro é morte. Até nunca!"
Simplesmente sensacional, um retrato fiel da nossa realidade esportiva e da imensa criatividade e bom humor desse nosso maravilhoso povo brasileiro. Isso sim é Brasil!
Um grande abraço espinosense.


1793 - Um dia de decepção aguda

A nossa vida é constituída de várias e íngremes ladeiras dispersas em um longo caminho de idas e vindas. Por vezes estamos em plena sensação de felicidade, sobretudo nas ocasiões de vitórias conquistadas. Por outro lado, em certos momentos de derrota, em especial as mais inesperadas, o sentimento de tristeza e decepção é excruciante. Definitivamente, a vida é dura, porém encantadora.
Se é assim na vida, também assim funciona no esporte mais amado por nós, brasileiros. Há 35 anos, exatamente no dia 5 de julho de 1982, no Estádio Sarriá em Barcelona, a Seleção Brasileira que encantou e ainda encanta o mundo do futebol, era eliminada de maneira dramática pela Seleção Italiana na Copa do Mundo da Espanha. Mesmo que o velho estádio tenha sido implodido em 1997 e não exista mais, aquelas lembranças do futebol mágico, técnico, fascinante, envolvente e que era (e continua sendo) reverenciado pelos amantes do futebol por todo o mundo jamais se apagarão das nossas memórias.


Naqueles tempos maravilhosos da minha vida, em que fui entusiasticamente feliz mesmo vivendo em tempos sombrios de ditadura militar, poder assistir na TV aos jogos da Copa do Mundo foi uma dádiva de Deus. Reuníamo-nos no Bar Recanto da Lagoa, de propriedade de Dona Cida de Seu Domingos, ali no início da Praça José Osvaldo Tolentino, local também conhecido como Praça de Paulo Cruz, ex-prefeito. O bar e restaurante era o point preferido da juventude da cidade naquela época. E foi lá que assistimos à estreia do Brasil na Copa da Espanha, partida contra a União Soviética, a URSS que já não existe. Estávamos todos ansiosos, felizes, otimistas e encantados com aquele timaço recheado de craques. Só que aos 34 minutos do primeiro tempo, a surpresa indesejada. Andriy Bal chutou de fora da área e o nosso goleiro Waldir Peres engoliu um frangaço, 1 x 0 para a URSS. Surpresa sim, desespero não, pois a confiança no futebol daqueles caras era total. E o empate veio, só no segundo tempo, aos 30 minutos, com um belo gol do genial Sócrates. O Magrão recolheu um rebote da defesa soviética, driblou com maestria dois adversários e lançou um tirambaço no canto direito do excelente goleiro Rinat Fayzrakhmanovich Dasayev. Chute indefensável. Uma alegria tamanha nas mesas apinhadas de gente com camisas e bandeiras amarelas e copos cheios de cerveja. E esse contentamento exacerbado só iria aumentar pouco tempo depois, aos 43 minutos, quando Paulo Isidoro deu passe pela direita para Falcão, que inteligentemente abriu as pernas, deixando passar a bola para Éder, que a ajeitou com um leve toque e desferiu um petardo de perna esquerda no ângulo esquerdo do gol da União Soviética, deixando sem ação o Dasayev. Estava decretada a primeira vitória da Seleção Brasileira na Copa, exatamente no dia 14 de Junho de 1982, no Estádio Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha, pela primeira rodada da primeira fase do Grupo F, diante de 60 mil espectadores.



A partida seguinte foi realizada no dia 18 de Junho, no Estádio Benito Villamarín, também em Sevilha, com 47.379 espectadores assistindo. O Brasil ganhou fácil da Escócia com o placar de 4 x 1 (começou perdendo, gol de David Narey aos 18 minutos), com gols de Zico (aos 33 minutos, em cobrança magistral de falta sofrida por Toninho Cerezzo), Oscar (aos 3 minutos do 2º tempo, de cabeça após cobrança de escanteio de Júnior), Éder (18 do 2º tempo, em um lindo toque por cima do goleiro após passe de Serginho. A jogada começou ainda com Waldir Peres tocando para Falcão, que passou para Sócrates tocar no Serginho e daí para o golaço de Éder.) e Falcão (aos 42 do 2º tempo, batendo de fora da área depois de passe de Sócrates).



A terceira e última partida da primeira fase foi outra goleada, desta vez contra a Nova Zelândia: 4 x 0.
43 mil pessoas estiveram no dia 23 de Junho no Estádio Benito Villamarín para assistir a mais um show do escrete canarinho. Zico, o Galinho de Quintino, marcou duas vezes, aos 28 e aos 31 minutos do 1º tempo. O primeiro gol teve no início o tradicional toque de calcanhar de Sócrates para Toninho Cerezzo, que tocou na direita para Leandro cruzar na área e Zico finalizar de primeira, de perna direita, um golaço de voleio. O segundo foi bonito pela construção da jogada, de pé em pé, passando por Zico, Sócrates até o passe perfeito de Leandro para a finalização tranquila do craque da camisa 10. E também foi de pé em pé a jogada que culminou com o lançamento de Zico para Falcão na direita penetrar na área e marcar o 3º gol brasileiro. Para fechar a goleada, Serginho fez o 4º gol, aproveitando cruzamento de Zico. O Brasil, com as 3 vitórias sobre União Soviética, Escócia e Nova Zelândia na primeira fase, estava classificado para a 2ª fase.



Na Copa do Mundo de 1982, a 12ª edição e a 1ª a contar com 24 seleções, o regulamento era diferente do atual. Após a fase inicial, viria a 2ª fase com grupos de 3 equipes jogando entre si. E o Brasil caiu no grupo 3 ao lado de ninguém menos que Argentina e Itália. O primeiro adversário foi a Argentina, em partida realizada no Estádio Sarriá, em Barcelona, com 44 mil espectadores no dia 2 de julho. No clássico sul-americano em terras espanholas, o Brasil saiu na frente com um gol de incrível oportunismo de Zico aos 11 minutos de jogo, após uma bomba de Éder na cobrança de falta que explodiu no travessão de Ubaldo Fillol. O segundo gol brasileiro veio em outra boa troca de passes entre Éder, Zico, Falcão e a finalização de Serginho, de cabeça. Brasil, 2 x 0 aos 21 minutos da 2º etapa. E teria mais. Zico enfiou uma bola no meio da defesa argentina para Júnior penetrar livre pela esquerda para marcar o terceiro gol brasileiro aos 30 minutos do 2º tempo. A gente não conseguia conter a alegria que explodia em nossos corações. Era uma euforia imensurável! Aquele time era fantástico, genial, maravilhoso e mais um caminhão de outros bons adjetivos. A Argentina até diminuiu aos 44 minutos do 2º tempo, com um gol de Ramon Díaz, mas ninguém nem queria saber, pois a vitória já estava sacramentada. Saímos, como em todas as vitórias, pelas ruas de Espinosa em carreata, em um sentimento de prazer indescritível. Todo mundo de verde e amarelo, gritando, bebendo e festejando aquele futebol espetacular do time de Telê Santana.




O dia 5 de julho de 1982 entraria para a história do esporte mundial como um dos mais decepcionantes para os amantes do futebol de alta qualidade, o futebol-arte. No mesmo Estádio Sarriá onde havíamos batido, sem grande dificuldades, a Argentina, o Brasil enfrentou a Itália, que vinha de performances irregulares até então. O empate favorecia o time brasileiro. A Itália só havia vencido um jogo na Copa, enquanto o Brasil havia ganhado todos os seus confrontos anteriores. A confiança era total em uma vitória brasileira. Lembro-me de que demos uma pausa no trabalho para assistir ao jogo. Com o horário do jogo sendo na parte da tarde, teríamos que voltar ao trabalho logo depois. A cerveja e a comemoração ficariam para mais tarde. Com um simples empate o Brasil se classificaria para as semifinais, mas aquele time de DNA ofensivo não jogava para empatar. O primeiro susto porém veio cedo. Nem bem havia iniciado o jogo e o atacante Paolo Rossi já mostrava que naquela fatídica tarde ele estava iluminado pelo destino. Depois de um cruzamento de Cabrini pela esquerda, ele cabeceou com firmeza e abriu o placar para a Itália. Uma surpresa para todos nós. Mas a confiança era tamanha que ninguém se preocupou muito, pois tínhamos quase certeza absoluta de que o empate viria rapidamente. E logo aos 11 minutos, em mais uma jogada de troca de passes e infiltração de jogadores do meio campo, uma característica forte daquela equipe, Sócrates tabelou com Zico, que devolveu a bola colocando o capitão do time em ótima condição para marcar o primeiro gol. Tudo voltava ao cenário esperado. Mas uma fatal desatenção na defesa, aos 25 minutos, com Cerezzo tocando a bola entre Luizinho e Falcão, que se desentenderam, deu a chance ao endemoniado Paolo Rossi para avançar e bater forte para colocar novamente a Itália na frente do placar, 2 x 1. Que coisa maluca aquela! A Itália, totalmente desacreditada, vencendo o timaço do Brasil. Mas ainda acreditávamos que aquela situação indesejável era momentânea. E assim foi. Júnior recebeu na esquerda, driblou para o meio e tocou para Falcão no lado direito do ataque. Toninho Cerezzo fez a infiltração na área, levando a marcação de dois italianos, o que permitiu um bom espaço para Falcão aproveitar a chance de arrematar de perna esquerda, com violência, no canto esquerdo do goleiro Dino Zoff. Estava tudo igual de novo no placar. E com aquele resultado estava classificada a Seleção Brasileira. Aí aconteceu a tragédia inimaginável no Estádio Sarriá. Aos 29 minutos do 2º tempo, após cobrança de escanteio, a bola sobra para o iluminado Paolo Rossi desviar para o fundo do gol de Waldir Peres, escrevendo uma das maiores injustiças na história do futebol mundial. O time que encantou o mundo com aquele futebol-arte, com aquela incrível qualidade técnica, com eficiente troca de passes e movimentação constante e com belíssimas jogadas e gols estava eliminada da competição. Neste dia vivi um dos momentos mais tristes e decepcionantes da minha longa história de apaixonado pelo futebol. Como pode, às vezes, ser o futebol tão surpreendente e injusto? Aquele time e suas apresentações de gala jamais sairão da minha memória: Waldir Peres, Leandro, Oscar, Luizinho e Júnior; Toninho Cerezzo, Falcão, Zico e Sócrates; Serginho e Éder. Treinador: Telê Santana. Esses caras me fizeram muito feliz, mesmo que a tristeza tenha explodido de forma tão dura nesta batalha perdida para a Itália. Mas valeu, e quanto!
Um grande abraço espinosense.










segunda-feira, 10 de julho de 2017

1792 - Um espaço nobre para a boa música

Sempre afirmo ser a Internet uma das melhores invenções dos últimos tempos. Com a sua ampliação e popularização consideráveis, abriu-se um vasto espaço para a conquista de conhecimento e de entretenimento. Obviamente, as incríveis possibilidades ofertadas pela rede mundial de computadores não se restringem às coisas positivas, com o aproveitamento dessa fenomenal ferramenta também para disseminação de coisas malignas. As redes sociais então, se tornaram um território sem lei, onde a intolerância, a ignorância, a mentira e o ódio campeiam sem limite, lamentavelmente.
Mas assim é o mundo. Enquanto podemos encontrar gente da mais alta qualidade, pregando a paz e o amor e a convivência harmoniosa entre todos nós, seres humanos, existem alguns que, individualistas e tomados pelo egoísmo exacerbado, pensam somente em seus ganhos pessoais, sem se preocupar com a dignidade e a felicidade dos outros ao seu redor.


Nesse contexto de extremos, nada como ouvir uma boa música, coisa rara atualmente nos canais de TV e rádios do país. A boa notícia é que a Internet é uma vastíssima dimensão onde podemos nos deliciar com o que há de melhor da música no mundo.
Entre tantos ótimos canais de música, um me encantou profundamente. Trata-se do NPR Music, um projeto lançado em novembro de 2007 pela Rádio Pública Nacional, dos Estados Unidos, uma organização sem fins lucrativos, que apresenta uma programação com conteúdo essencialmente musical, dando oportunidade a artistas jovens ou consagrados de mostrar seu trabalho e seu talento. A programação oferece concertos ao vivo, notícias, sessões de estúdio, listas de músicas e entrevistas.
Um em especial, eu adoro. O programa NPR Music Tiny Desk Concert, disponível no You Tube, apresentado por Bob Boilen, atual anfitrião e o criador do show, recebe convidados das mais diversas variações artísticas, entre veteranos e estreantes, ícones e desconhecidos, para apresentações intimistas e descontraídas no seu escritório, sempre com altíssima qualidade musical.
Por ali já passaram verdadeiros ícones da música, como por exemplo Peter Frampton, Graham Nash, Death Cab For Cutie, Yusuf/Cat Stevens, Suzanne Vega, Robert Cray, John Legend, The Cranberries e até o nosso Rodrigo Amarante.
São performances extremamente intimistas, emocionantes, em uma ambiente completamente acolhedor, o que confere uma liberdade maior ao artista para mostrar a sua arte.
Não deixe de visitar o site no You Tube. Apenas digite NPR Music Tiny Desk Concert e você terá à sua inteira disposição dezenas de oportunidades de ampliar o seu horizonte musical.
Aprender, abrir os olhos, ampliar a visão, ganhar conhecimento, conhecer novos sons, novos artistas, descobrir o mundo é uma viagem. Você vai gostar, eu aposto.
Um grande abraço espinosense.





quarta-feira, 5 de julho de 2017

1791 - E Lidoninho e Camila se vão deixando dor e tristeza...

É muito triste logo de manhã tomar conhecimento do falecimento de um grande personagem da sociedade espinosense, Lidônio Cruz, o tão conhecido e querido Lidoninho. Ele faleceu após se submeter a uma cirurgia aqui em Montes Claros. 
Lidoninho era funcionário público municipal de grande capacidade de trabalho e respeitado por todos. Entusiasta do esporte, jogou muito futebol quando jovem no time da Prefeitura e no famoso time do Mais Uma, conforme pode-se visualizar nas fotografias abaixo publicadas.
À sua esposa Mariângela Tocantins Loures e a todos os familiares e amigos o meu profundo sentimento de pesar pelo seu falecimento. Rogo a Deus que lhes dê muita força, fé, resignação e paciência para suportar a dor e a tristeza deste acontecimento tão doloroso.
Que Deus receba a alma de Lidoninho em seu reino, dando-lhe um bom lugar para o descanso eterno. Ele ficará para sempre em nossas memórias.
Quero também deixar aqui registrada, mesmo com pequeno atraso, a minha tristeza pelo falecimento da jovem Lessandra Camila Santana Davi Porto, filha de Sandoval Rodrigues Porto Júnior e Leci Santana Davi Porto. Não a conhecia, mas os depoimentos dos amigos comprovam a sua doçura, a sua generosidade para com o próximo, a sua integridade moral e a sua dedicação no trabalho. Aos seus pais e demais familiares a minha consideração e apoio neste terrível momento de dor e tristeza. Que Deus a receba de braços abertos em seu Reino. 
Um grande e consolador abraço espinosense. 

Lidoninho (de camisa azul) fazendo feira no Mercado de Espinosa

Lidoninho, o penúltimo agachado à direita

Lidoninho, o quarto a partir da direita (Time da Prefeitura de Espinosa)

Lidoninho no Mais Uma, o último agachado (com a bola)

Lidoninho, o terceiro agachado

Lidoninho, o segundo em pé a partir da direita

A jovem Lessandra Camila

terça-feira, 4 de julho de 2017

1790 - Imagens da velha Montes Claros

A cidade de Montes Claros completou seus 160 anos de idade ontem. É um caso interessante de como uma cidade pequena, fincada no Sertão Norte-Mineiro, deu um salto gigantesco nas suas estruturas e em um tempo razoável transformou-se em uma potência regional em vários setores, notadamente nas áreas educacional e de saúde. 
Para mostrar um pouquinho dessa história, nada como visualizarmos importantes imagens do seu passado e da sua gente maravilhosa. Eis o que vocês verão no vídeo abaixo, muito da história da minha querida Montes Claros.
Um grande abraço espinosense e montes-clarense.



 

1789 - Aniversário de 160 anos de Montes Claros

Dia 3 de julho de 2017, aniversário de 160 anos da cidade de Montes Claros. Lugar onde cheguei com minha família há exatos 15 anos, vindo de Espinosa, minha amada cidade natal. Tornei-me mais um montes-clarense de coração bem rapidamente, acolhido da maneira mais solidária e aconchegante pelos meus amigos e colegas que aqui residiam, muitos deles também oriundos de outras localidades deste imenso Brasil. Montes Claros é isso, um lugar de acolhimento, uma terra em que todos são bem-vindos, venham de onde vierem. 
Neste dia em que se comemora os 160 anos desde que a então pequenina Vila de Montes Claros de Formigas passou a ser a cidade de Montes Claros, é preciso agradecer a esta terra maravilhosa que é conhecida como a capital do Norte de Minas, mas que ainda mantém características de cidade interiorana, com muita harmonia e interação entre as pessoas.
Parabéns, Montes Claros! Que o tempo a mantenha sempre assim, um bom lugar para se viver.
Um grande abraço espinosense.





Datas importantes na história de MOC City:

12 de abril de 1707 - Antônio Gonçalves Figueira obtém a sesmaria de uma légua de largura por três de comprimentos que constituiu a Fazenda de Montes Claros;
13 de outubro de 1831 - O lugar é elevado à categoria de Vila, recebendo o nome de Vila de Montes Claros de Formigas;
16 de outubro de 1832 - Posse da 1ª Câmara (Vila de Formiga);
5 de dezembro de 1832 - Criação do Serviço de Correios;
13 de janeiro de 1847 - Chegada do 1º Médico - Dr. Carlos Versiani;
1856 - Fundação da Banda de Música Euterpe Montes-clarense; 
3 de julho de 1857 - A vila torna-se a cidade de Montes Claros;
21 de setembro de 1871 - Criado o Hospital de Caridade, depois chamado "Santa Casa de Caridade";
21 de março de 1879 - Criação da Escola Normal Oficial;
1880 - Instalação da 1ª Fábrica de Tecidos; 
24 de fevereiro de 1884 - Saiu o primeiro número do Semanário "Correio do Norte";
14 de setembro de 1886 - Inauguração da Capela de Santa Cruz, conhecida simplesmente por Capela dos Morrinhos;
27 de outubro de 1892 - Criada a primeira linha telegráfica da cidade;
3 de setembro de 1899 - Inauguração do Mercado Municipal (hoje Shopping Popular);
16 de agosto de 1900 - Entra na cidade a 1ª bicicleta; 
5 de janeiro de 1909 - Criação do 1º Grupo Escolar;
10 de dezembro de 1910 - Criação do Bispado; 
7 de dezembro de 1912 - Instalação do Serviço Telefônico Urbano;
1914 - Instalação do 1º Cinema (Cinema Recreio);
20 de janeiro de 1917 - Chegada da energia elétrica à cidade;
12 de julho de 1920 - Fundação da Associação Comercial;
10 de novembro de 1920 - Chegada do 1º automóvel à cidade;
1º de julho de 1926 - Inauguração da E.F.C.B (Estação Ferroviária);
14 de agosto de 1936 - Fundação da Associação Atleticana Ateneu;
18 de dezembro de 1938 - Inauguração do serviço de água potável;
18 de dezembro de 1939 - Inauguração do Aeroporto de Montes Claros - Mário Ribeiro;
1941 - Construção da Praça de Esportes Minas Gerais;
1943 - Fundação da Rádio Sociedade;
21 de junho de 1944 - Fundada a Sociedade Agropecuária de Montes Claros;
9 de maio de 1945 - Inauguração da Rádio ZYD-7; 
31 de dezembro de 1945 - Fundação do Rotary Clube de Montes Claros;
1949 - Criação da Associação Comercial e Industrial - ACI;
1955 - Criação da Cooperativa Agropecuária Regional de Montes Claros - COOPAGRO;
30 de junho de 1956 - Instalação do Serviço de Telefone Interurbano; 
28 de julho de 1956 - Instalação do 10º Batalhão da Polícia Militar;
3 de julho de 1957 - Inaugurado o Parque de Exposições João Alencar Athayde;
1964 - Criação da Frigonorte;
1966 - Criação da Matsulfur;
1969 - Criação da Coteminas;
1971 - Criação do Hotel Monte Rey;
1973 - Criação da Biobrás;
1978 - Criação da Valée Nordeste;
1981 - Criação da Têxtil Paculdino;
8 de novembro de 1997 - Inauguração do Montes Claros Shopping;
17 de março de 2009 - Inauguração do Ibituruna Center Shopping.

domingo, 2 de julho de 2017

1788 - Formatura de Lara Jhullian Tolentino Vieira

Como é bom receber boas notícias! Ainda mais quando envolvem pessoas próximas, amigos ou familiares. E foi com imensa alegria que tomei conhecimento de mais uma conquista de raro valor de mais uma jovem espinosense. Desta vez foi a formatura da garota Lara Jhullian Tolentino Vieira, filha de Ariadne Tolentino Cruz e João Carlos Vieira. Ela acabou de se formar em Medicina pela Unimontes.
Infelizmente, por falha de comunicação, não pude estar presente nem na Missa nem na diplomação, o que muito me desapontou, pois seria mais uma alegria poder estar presente em momento tão importante na vida dessas pessoas por quem temos, eu e minha família, carinho e consideração. Peço aqui publicamente desculpas a Lara e a Ariadne pela falha.
Parabenizo Ariadne e demais familiares pela árdua luta no suporte da sua menina, possibilitando as condições para que ela chegasse a esta vitória de enorme amplitude no caminho do bem.
Então é pedir a Deus que abençoe a Lara nesta sua nova fase da vida, cuidando para que o seu caminho pessoal e profissional seja coberto de sucesso e felicidade e que sua conduta na profissão seja sempre de respeito, ética e carinho com seus pacientes. Boa sorte, menina, e que Deus a proteja! 
Um grande abraço espinosense.




1787 - E o Atlético venceu o clássico 500

O maior confronto do futebol das Minas Gerais teve a sua primeira edição no dia 17 de abril de 1921, quando o Cruzeiro venceu o Atlético, em partida amistosa, por 3 x 0. Desde então as batalhas se sucederam com alegrias de lado a lado, com um total de 499 partidas realizadas até o jogo de hoje. Os números da história do clássico mineiro mostram uma superioridade do Atlético nas vitórias, 200, contra 166 do Cruzeiro. Outras 133 partidas terminaram empatadas. O Atlético marcou mais gols. Foram 708, contra 634 do Cruzeiro. Os maiores artilheiros dos clássicos são, pelo Atlético: Guará (26 gols), Reinaldo (16), Ubaldo(16), Lucas Miranda (15) e Romazinho (10); pelo Cruzeiro: Niginho (25 gols), Alcides (22), Orlando Fantoni (18), Abelardo (14) e Bengala (12). Poucos foram os jogadores que conseguiram a proeza de marcar 3 gols no clássico maior de Minas. Pelo lado alvinegro foram Said, Mário de Castro, Guará (2 vezes), Nívio, Lauro, Ubaldo, Osvaldo, Tucho, Obina e Diego Tardelli. Pelo lado azul foram Niginho, Ildeu, Gradim, Fescina, Revetria, Ronaldo e Fábio Júnior.
As maiores goleadas no clássico aconteceram em 27 de novembro de 1927, com o Atlético vencendo pelo placar de 9 x 2, e em 4 de dezembro de 2011, com o Cruzeiro vencendo por 6 x 1. O maior público da história do confronto aconteceu no dia 4 de maio de 1969, no Mineirão, na vitória do Cruzeiro por 1 x 0, com 129.377 presentes e 123.351 pagantes no estádio. 
No Mineirão foram disputados 237 jogos, com 86 vitórias do Cruzeiro (278 gols), 75 do Atlético (256 gols) e 76 empates. No Independência foram 71 jogos, com 35 vitórias do Atlético (97 gols), 20 vitórias do Cruzeiro (70 gols) e 16 empates.
Pelo Campeonato Brasileiro, foram disputados 64 jogos, com 22 vitórias para cada lado e 20 empates. 89 gols marcados pelo Cruzeiro e 83 gols pelo Atlético. Lembrando que os números da partida de hoje não estão ainda computados. 
Fonte: uai.com.br


Depois de tanta história e tantos números, o combate de número 500 entre atleticanos e cruzeirenses não poderia ser diferente dos demais. Muito nervosismo, clima pesado de competição acirradíssima, empurrões, faltas, polêmicas, cartões amarelos até para quem estava no banco de reservas, lindas jogadas e muitos e belos gols. O Cruzeiro surpreendeu saindo na frente logo aos 5 minutos do primeiro tempo com um gol marcado pelo atacante Thiago Neves, após passe de Alisson pela esquerda e falha da defesa atleticana, que havia perdido o capitão Leonardo Silva logo no início da partida por lesão muscular na coxa direita. O Cruzeiro jogava melhor e criava chances de aumentar o placar do jogo. Até que o Atlético acordou em campo e passou a comandar a partida, sufocando o adversário até que a chance surgiu com uma falta próxima à linha da grande área. Aos 47 minutos, com uma categoria espetacular, o habilidoso camisa 10 do Atlético, o pequenino e endiabrado Cazares, cobrou com maestria a falta, colocando a bola no ângulo direito do goleiro Fábio, que ficou só olhando a rede balançar junto com a fanática torcida atleticana, que era maioria no Independência. Menos de 2 minutos depois, após cobrança de lateral, Elias e Alex Silva fizeram ótima jogada pela direita que culminou na finalização firme e tranquila do atacante Fred. O Atlético virou o jogo, 2 x 1.


O segundo tempo começou com os times sem mudanças na escalação. E o jogo passou a ter um predomínio maior da equipe atleticana no meio campo. Os treinadores, atentos ao desenrolar dos acontecimentos em campo, colocavam em prática suas estratégias com substituições de jogadores. E a luta pela vitória continuava tensa e aguerrida. Até que aos 33 minutos, após um longo lançamento de Roger Bernardo e troca de passes entre Elias e Cazares, o equatoriano cruzou na medida para a cabeçada do matador Fred colocar números finais na partida, 3 x 1 para o Atlético.
Com esta importantíssima vitória na caminhada do Campeonato Brasileiro, o Atlético saiu da parte de baixo da tabela de classificação e deu um salto gigantesco, se aproximando das primeiras posições. É óbvio que as chances de faturar o título são quase impossíveis, mas ainda permanece a luta por uma vaga na Libertadores de 2018. Quanto ao Cruzeiro, a derrota acontece em uma fase inconstante da equipe, que alterna momentos de ótima exibição com outros de completa desatenção e fraco desempenho. 
Agora o Atlético desvia a atenção para a Libertadores, com a partida na quarta-feira, 5 de julho, às 21:45 no Estádio Félix Capriles, em Cochabamba, contra o Jorge Wilstermann, antes de pegar novamente o Botafogo no Engenhão pelo Campeonato Brasileiro no domingo, enquanto o Cruzeiro descansa para pegar o Palmeiras, no Mineirão, também pelo Brasileirão.


Mais um clássico com muita emoção e nervos à flor da pele, mas com troca de camisas e cumprimentos entre os jogadores na maior paz e harmonia no final da partida, o que deve ser sempre comemorado. Futebol é arte, disputa e rivalidade, mas sempre um esporte com paz, tranquilidade e respeito. Hoje nós, os atleticanos, estamos rindo à toa, enquanto os cruzeirenses estão tristes e chateados. Amanhã poderá ser tudo diferente. Assim é o futebol. Mágico, maravilhoso e totalmente imprevisível.
Um grande abraço espinosense.

 ATLÉTICO 3 X 1 CRUZEIRO

ATLÉTICO: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva (Bremer), Gabriel e Fábio Santos; Roger Bernardo, Yago (Adílson), Elias e Cazares; Robinho e Fred (Rafael Moura)
Técnico: Roger Machado

CRUZEIRO: Fábio; Ezequiel, Caicedo, Leo e Diogo Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho (Elber) e Thiago Neves; Alisson (Sassá) e Rafael Sobis (Ramón Ábila)
Técnico: Mano Menezes

Gols: Cazares, aos 47min, Fred, aos 49min do 1ºT e aos 34min do 2ºT (Atlético); Thiago Neves, aos 5min do 1ºT (Cruzeiro)
Cartões amarelos: Fábio Santos, Bremer, Robinho, Marlone e Roger Bernardo (Atlético), Ábila, Rafael Sobis, Ariel Cabral e Caicedo (Cruzeiro)
Motivo: 11ª rodada do Campeonato Brasileiro
Estádio: Independência
Data: domingo, 2 de julho de 2017 
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael Alves e Elio Nepomuceno de Andrade (RS)
Assistentes adicionais: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS) e Daniel Nobre Bins (RS)
Pagantes: 17.251
Renda: R$ 569.140,00