Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

1841 - Wolfgang Amadeus Mozart em Espinosa

Ninguém gosta do que não conhece. Parece óbvio, mas se você nunca escutar o trabalho musical de um artista qualquer, você nunca irá apreciá-lo e nem irá transformar o seu criador em um ídolo seu. Por isso é tão importante e fundamental o conhecimento, o saber, a descoberta do novo, o acesso ao incógnito. É preciso que as crianças (e jovens, adultos e idosos) tenham acesso a todo tipo de música para que descubram por si sós aquelas que tocam verdadeiramente seus corações.
E qual a razão para que eu diga isso, assim do nada? Só as pessoas da minha geração e da geração anterior à minha poderão se lembrar da maravilha que eram as instalações do Cine Coronel Tolentino, empreendimento criado pelo empresário Aristides Tolentino e administrado pelos seus filhos Tidim e Nelito, todos infelizmente já falecidos. 
Para quem desconhece a história de Espinosa, nos anos 70 tínhamos o melhor cinema de toda a região, com magnífica estrutura, máquinas modernas, cadeiras confortáveis, iluminação diferenciada, sala de espera, bombonière, tela e cortina de grandes dimensões e uma abertura musical de qualidade impactante. Foi neste ambiente aconchegante que vivi grandes momentos de alegria, felicidade e magia com a sétima arte. Além de me maravilhar com os filmes de faroeste, de Tarzan, de Mazzaropi, da dupla Terence Hill e Bud Spencer e de tantos outros astros, ainda usávamos o escurinho do cinema para trocar os primeiros e últimos beijos com as namoradas. Há muito o que contar do local e das emoções vividas ali, mas quero me concentrar apenas na música de abertura das sessões. Naquela época, ir ao cinema era um evento singular, uma emoção indescritível de acessar um novo mundo, de magia e encantamento. Desde a compra do ingresso, a entrada na sala de espera, a contemplação dos cartazes dos filmes que iriam ser exibidos adiante, o acesso à sala de exibição, a espera pelo apagar das luzes até o início do clímax, quando começava a música tema de abertura com o piscar das luzes coloridas no teto e a lenta abertura da enorme cortina. Era sempre um momento deslumbrante!


E que música era esta do tema de abertura? Uma música clássica, de um mestre quase que desconhecido por todos que a escutavam constantemente. Eu mesmo, só muito tempo depois me dei ao trabalho de procurar saber a quem pertencia aquela canção. E descobri que se tratava de uma composição do gênio austríaco Wolfgang Amadeus Mozart. Trata-se da Sinfonia nº 40, obra em sol menor, com 4 movimentos (Molto Allegro, Andante, Menuetto, Allegretto-Trio e Allegro Assai), finalizada em 25 de junho de 1788. No Cine Coronel Tolentino ouvíamos apenas a parte inicial do 1º movimento, mas a encantadora melodia jamais saiu da minha memória, sempre trazendo as mais felizes recordações.
Abaixo estão dois vídeos, um, o segundo, com uma versão do 1º movimento em performance de orquestra. O primeiro vídeo traz outra versão, da dupla Mozart Heroes, formada pelos músicos Chris (Violoncelo) e Phil (Violão), seguida da interpretação da música "Enter Sandman" do Metallica, música esta composta por James Hetfield, Lars Ulrich e Kirk Hammett. A verdade é que música boa nunca perde a qualidade, seja pelo passar do tempo ou pelas versões realizadas. A música é eterna e sempre prazerosa.
Um grande abraço espinosense.






quarta-feira, 11 de outubro de 2017

1840 - Blade Runner 2049

Complexo. E longo, bonito e dramático. Mais outras classificações podem ser feitas ao filme "Blade Runner 2049", uma sequência do clássico de ficção científica "Blade Runner: O Caçador de Androides" baseado no livro "Do Androids Dream Electric Sheep?" ("Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?") do escritor Philip K. Dick. Naquele filme, dirigido por Ridley Scott e lançado em 1982, um ainda jovem Harrison Ford encarnou o misterioso personagem Rick Deckard, um perseguidor implacável dos replicantes, androides fortes e inteligentes idênticos aos humanos, fabricados pela Tyrell Corporation com o intuito de trabalhar na exploração e colonização de outros planetas.
Nesta continuação lançada agora no dia 6 de outubro com o nome de "Blade Runner 2049", Harrison Ford já não tem a jovialidade e beleza do passado, mas seu personagem continua de suma importância na história, mesmo como coadjuvante. O ator Ryan Gosling, com seu personagem denominado K ou Joe, é o protagonista desta vez.


Aos que não assistiram ao primeiro filme, são importantes algumas informações. Blade Runner é o nome dos integrantes de uma unidade especial do Departamento de Polícia de Los Angeles que caça e elimina sem piedade os replicantes revoltosos, os Nexus 6. Um desses caçadores implacáveis é o Rick Deckard, personagem de Ford. Agora, no ano de 2049, a situação é parecida. Depois da compra da Tyrell Corporation pelo empresário Niander Wallace, a produção de androides é aperfeiçoada com os novos modelos Nexus, mas ao contrário dos antigos que tinham tempo de vida definido (4 anos), estes tem vida ampla, memórias e sentimentos próprios. A atmosfera da cidade continua sombria, enfumaçada e com chuva constante em meio à desesperança do povo nas ruas. Enquanto os replicantes são caçados, passeiam pela tela imagens magníficas da destruição porque passou a Terra, em um ambiente distópico, sem espaço para a beleza da Natureza. Os sentimentos não encontram espaço para se desenvolver, tudo é extremamente mecânico e impessoal. O filme nos leva a uma boa reflexão sobre o nosso futuro, sobre o mundo que estamos construindo, sobre as nossas atitudes amorosas, sobre o amor e os sacrifícios para poder vivenciá-lo em sua essência, enfim um questionamento sobre a vida. Vale o ingresso.
Um grande abraço espinosense. 

"Blade Runner 2049"
História: Hampton Fancher
Roteiro: Hampton Fancher e Michael Green
Direção: Denis Villeneuve
Produtor Executivo: Ridley Scott
Música: Hans Zimmer e Benjamin Wallfisch
Direção de Fotografia: Roger Deakins
Edição: Joe Walker

Elenco:
Ryan Gosling (K ou Joe)
Dave Bautista (Sapper Morton)
Robin Wright (Tenente Joshi)
Sean Young (Rachael)
Ana de Armas (Joi)
Jared Leto (Niander Wallace)
Sylvia Hoeks (Luv)
Harrison Ford (Rick Deckard)
Edward James Olmos (Gaff)
Lennie James (Mister Cotton)
Carla Juri (Ana Stelline)
Hiam Abbass (Freysa)
Mackenzie Davis (Mariette)
Barkhad Abdi (Doc Badger)
David Dastmalchian (Coco)
Wood Harris (Nandez)
Tómas Lemarquis (File Clerk)


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

1839 - É hora de ajudar as vítimas do ódio em Janaúba

Ainda estamos todos abalados, extremamente tristes e com os corações feridos com as consequências funestas da bestialidade humana que vitimou crianças e adultos da Creche Gente Inocente da cidade de Janaúba. A tragédia é tão desumana que custa a nós acreditar que isto possa realmente ter acontecido. Bate-nos no peito um sentimento de revolta, de impotência, de desalento com a raça humana, infelizmente com espécimes de mentes perturbadas capazes de tamanhas atrocidades.
É preciso reconhecer a valentia, o desprendimento, o amor e a solidariedade de inúmeros personagens que evitaram uma tragédia ainda maior. A professora Heley, que perdeu a vida; suas companheiras da creche; os cidadãos que ajudaram a apagar o fogo e a retirar as crianças do local; os profissionais da Saúde que trabalharam e trabalham para que outras crianças sobrevivam; outros personagens com atuação decisiva e destacada na atenuação dos estragos da catástrofe e tantos outros que ajudam com suas orações, serviços e doações.
A cidade de Espinosa também está enlutada e certamente estará presente na luta em prol das vítimas de Janaúba. A administração municipal cancelou a programação festiva do Dia das Crianças e em seu lugar irá realizar uma Ação Solidária na Praça Geraldo Ramos de Oliveira, a Praça da Meteorologia, na tarde da próxima quarta-feira, dia 11 de outubro, a partir das 17 horas. Serão arrecadados alimentos, brinquedos e materiais diversos para encaminhamento às vítimas da tragédia em Janaúba. Entre outras coisas, poderão ser doados quaisquer quantidades de água mineral, leite, brinquedos e fraldas geriátricas tamanho P.
Assim, apelamos para o elevado senso de solidariedade cristã dos espinosenses, sempre dispostos a ajudar a quem precisa, para que, cada um dentro das suas possibilidades, façam suas doações para os atingidos por este triste e terrível acontecimento. Vamos ajudar e que Deus os recompense!
Um grande e fraterno abraço espinosense.

 

1838 - Barreiras e suas belezas naturais

Adoro a cidade baiana de Barreiras, muito pelo seu Rio de Ondas e sua Cachoeira do Acaba Vida, duas maravilhas da Natureza. E ela tem muito mais atrativos. Fica um tanto distante de nós. 548 km para quem reside em Espinosa, 666 km para quem mora em Montes Claros. Dista 871 km da capital Salvador e está mais próxima da capital nacional Brasília, com 613 km. Mas vale a pena conhecê-la.
Barreiras está situada no extremo Oeste da Bahia, atualmente com uma população estimada pelo IBGE em 157.638 habitantes. A cidade é privilegiada em recursos hídricos, com o Rio Grande, principal afluente da margem esquerda do Rio São Francisco, passando cheio de curvas em sua área central. Próximo dali o maravilhoso Rio de Ondas propicia aos habitantes toda a sorte de lazer, com suas águas cristalinas, sua vegetação ribeirinha ainda preservada e as ondas que serpenteiam céleres por cima das muitas rochas, em um espetáculo gratuito e diário da força e beleza da Natureza.
A cidade de Barreiras é atualmente um poderoso polo regional de desenvolvimento, destacando-se em setores diferenciados da economia, como comércio, agronegócio, saúde, educação, serviços e construção civil. A ótima localização a torna o principal entroncamento rodoviário da região, com acesso direto a três rodovias federais, sendo elas a BR 020, a BR 135 e a BR 242. Possui o terceiro maior IDH do estado da Bahia, com média de 0,721, atrás apenas de Salvador e Lauro de Freitas. Tem como municípios fronteiriços as cidades de Luís Eduardo Magalhães, São Desidério, Cristópolis, Angical, Riachão das Neves e Formosa do Rio Preto (todas na Bahia), além de Novo Jardim e Ponte Alta do Bom Jesus (no Tocantins).     
Passei por lá no mês de agosto e estranhei o clima não tão quente naquela época do ano, tudo por conta dessa loucura atual do clima. Normalmente o calor é bastante forte na região, mas lá está o antídoto para essa situação desconfortável. Basta um mergulho no Rio de Ondas ou uma visita e contemplação à Cachoeira do Acaba Vida ou à Cachoeira do Redondo no Rio de Janeiro, prazeres que não tem preço.
Um grande abraço espinosense.


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

1837 - Correntina e suas águas maravilhosas

Imagine uma cidade onde impera o sol escaldante, abençoada por Deus e cortada em suas entranhas por vários rios de água cristalina. Não, não é a nossa amada Espinosa. Pelo menos não é mais. Já foi assim um dia, até que a ignorância e a ganância de alguns destruíram as matas ciliares dos nossos rios, transformando tudo em carvão. Além disso os rios se transformaram em verdadeiros depósitos de lixo, em uma atitude de completa estupidez.
Esta cidade do sonho existe e fica no oeste do estado da Bahia. Trata-se de Correntina, cidade situada a 914 km de Salvador, a cerca de 500 km de Montes Claros e distante 380 km de Espinosa. Lá moram 33.361 habitantes, conforme o IBGE (2017). Correntina, assim como Espinosa, é abençoada com a existência de vários rios em seu território. Ela é banhada pelos rios Correntina, Arrojado, Santo Antônio, Guará e Rio do Meio, todos eles com águas cristalinas e ainda bem preservadas. No rio que corta a cidade, o Correntina, com suas muitas pedras, corredeiras e águas límpidas passando em pleno centro, ainda hoje as lavadeiras cumprem sua missão de deixar limpas e alvas as roupas suas e dos seus clientes. Em uma ilha ali mesmo, uma estreita ponte de metal dá acesso ao Ranchão, um bar e restaurante onde se pode beber e comer tranquilamente diante de tão lindo cenário. Por ali, no Carnaval, se espalham milhares de foliões vindos de todo o Brasil (e até do exterior), em especial os moradores de Brasília, que dista apenas 528 km.
Em outro local de Natureza perfeita, uns 2 km ali perto, estão as 7 Ilhas, cenário perfeito para um bom descanso mental, com o rio formando pequenas ilhas em meio à densa vegetação. Cartão postal da cidade, o local oferece cenários belos e tranquilos para um bom banho de rio, amplo estacionamento e um restaurante para saborear um saboroso almoço e uma boa cerveja gelada. As ilhas são interligadas por pontes de madeira e batizadas com nomes como Ilha da Melhor Idade, dos Casais, dos Namorados, das Crianças etc.
Portanto, amigos, querendo passear e se livrar momentaneamente do estresse do cotidiano, vale uma viagem a Correntina para curtir um pouquinho dessas maravilhas ainda intocáveis da Natureza, não se esquecendo de fazer a sua parte para preservar tamanho tesouro da Humanidade.
Um grande abraço espinosense.


quarta-feira, 4 de outubro de 2017

1836 - O Londrina é o grande Campeão da Primeira Liga 2017

De maneira merecida e um tanto quanto surpreendente, o Londrina conquistou o título da segunda edição da Primeira Liga na noite desta quarta-feira, depois de vencer o Atlético, no Estádio do Café , na disputa de pênaltis. O time paranaense, que atualmente ocupa a 10ª posição na tabela da Série B do Campeonato Brasileiro, já havia eliminado poderosos clubes do país, como Fluminense e Cruzeiro.
Na partida única e decisiva da final da Primeira Liga, o Londrina venceu o Atlético nos pênaltis e levantou a taça de campeão no gramado do Estádio do Café. O Tubarão fez belíssima campanha em toda a competição, passando por cima de gigantes do futebol brasileiro como Fluminense e Cruzeiro e agora, na finalíssima, venceu o Atlético, equipes de poder aquisitivo muitas vezes superior.  
A Primeira Liga foi fundada em 10 de setembro de 2015, na cidade do Rio de Janeiro, sendo uma associação de clubes de vários estados da Federação. Na primeira edição do torneio, realizada ano passado, o Fluminense foi o grande campeão ao derrotar o Atlético-PR na final pelo placar de 1 x 0, gol marcado pelo atacante Marcos Júnio.


Antes de a bola rolar, duas situações distintas dominavam o cenário nos clubes finalistas. Enquanto para o Londrina o título da Primeira Liga era uma vitória a ser muitíssimo comemorada, com o clube paranaense chegando à sua segunda conquista em competições nacionais (ganhou o Campeonato Brasileiro - Série B de 1980), para o Atlético o triunfo não teria muita importância, por enfrentar um time de menor expressão, com menos recursos financeiros e integrante da Segunda Divisão do Futebol Brasileiro. Se o Londrina não tivesse êxito na empreitada, não seria nada demais o insucesso, mas se a derrota fosse do Atlético, aí a pressão seria enorme por parte da imprensa e da torcida, podendo até ser considerado um resultado vergonhoso, dada a discrepância do poderio econômico entre os clubes.    
Na decisão de hoje não havia outra alternativa ao Atlético senão a de vencer. Depois de ser eliminado precocemente na Copa Libertadores e na Copa do Brasil, a torcida apaixonada e exigente cobrava uma reação e uma melhor performance da equipe nesta reta final da temporada. Com esta cobrança forte da torcida e em uma fase de terrível desempenho, o Atlético passou a encarar a decisão contra o Londrina como se fosse a mais importante do mundo. O Londrina, também, já que era a chance de ganhar e incluir outro torneio nacional na sua história.
No dono da casa, o Londrina, o desfalque era o volante e capitão Germano. No Atlético, as baixas eram o zagueiro e capitão Leonardo Silva, Luan e Otero.
A partida começou com ambos os times bem posicionados em campo, com boa troca de passes no meio campo e alguns erros de passe, mais em virtude da marcação firme do adversário. Foram poucos momentos de perigo nos instantes iniciais, com uma boa jogada de Alex Silva pela lateral e confusão na área do Londrina, até que Rômulo assustou o goleiro Victor com um belo chute de fora da área aos 18 minutos. O Atlético tentava cadenciar o jogo, enquanto o Londrina apostava nas jogadas rápidas de contra-ataque, sobretudo com o habilidoso Artur. Aos 25 minutos, Negueba obrigou Victor a trabalhar, desferindo um chutaço de perna direita para bela defesa do goleiro atleticano. Aos 26 minutos, Elias tenta um chute longo, pelo alto, sem direção. Com o apoio da grande torcida presente no Estádio do Café, o Londrina tentava forçar mais o jogo, usando os chutes de fora da área, enquanto o Atlético tinha dificuldades na criação de jogadas de ataque, muito em função da lentidão na saída da bola da defesa para o ataque. Aos 40 minutos, depois de boa triangulação na defesa do Londrina, Valdívia finalizou de perna direita, forte, mas alto, por cima do travessão do goleiro César, sem perigo. Valdívia teve outra oportunidade de marcar 3 minutos depois, com o corte providencial do lateral Ayrton. Assim terminou o primeiro tempo, com muita disputa pela bola, marcação cerrada, boas trocas de passes e algumas boas chances de gol. 
Bola rolando na segunda etapa. Permanecendo o empate, a decisão iria para os pênaltis. Mas os times voltaram com a vontade de decidir o jogo ainda no tempo normal, sobretudo o Atlético, que partiu mais para cima do Londrina. Aos 8 minutos, Valdívia tentou fazer um gol olímpico, em cobrança rasteira de escanteio, cortada pela defesa. Devido à forte marcação na saída de bola, os times passaram a utilizar os chutões dos zagueiros para municiar o ataque, sem nenhuma objetividade. O lateral direito do Atlético, Alex Silva, fazia uma partida horrível, errando quase todas as jogadas. Ele tentou uma bola atrasada e deixou Artur em boa possibilidade de finalização, impedida por Fábio Santos. Oswaldo de Oliveira tentou melhorar o desempenho do seu time e colocou Clayton no lugar de Valdívia, cansado. No Londrina, também cansado e sentindo cãibras, saiu Rômulo para a entrada de Marcinho. O Londrina também queria vencer nos 90 minutos, sem nada de pênaltis. Aos 31 minutos, Fred, que pouco participou do jogo, deu lugar ao He-Man, o Rafael Moura. E o Londrina assustou a pequena torcida atleticana no estádio, com uma blitz na defesa do Atlético, forçando a saída com os pés de Victor. O jogo ficou bem mais emocionante, com as equipes saindo mais em busca da vitória. Para confirmar isso, Tencati substituiu Carlos Henrique por Alisson Safira e Oswaldo tirou Cazares, que andava meio sumido da partida, para a entrada de Marlone. Aos 40 minutos do segundo tempo, o Atlético criou boa jogada no contra-ataque, chegando com velocidade no ataque, mas Marlone desperdiçou a ótima chance de marcar, chutando torto pela linha de fundo. Um jogo que parecia tranquilo tornou-se dramático. Sem gols, a decisão foi para os pênaltis.

O goleiro César brilhou mais uma vez e foi o herói da conquista



E começou a decisão nos pênaltis. Em bela imagem, os goleiros Victor e César se abraçaram respeitosamente. O Londrina iniciou a série de cobranças. Jumar bateu no canto direito de Victor, que quase defendeu. Fábio Santos bateu com categoria, com o goleiro caindo para o lado contrário da bola. Édson Silva bateu forte e acertou o joelho de Victor, com a bola indo parar no fundo da rede. Robinho cobrou com maestria, bola em um lado, bem no ângulo, goleiro no outro. Ayrton bateu e converteu, com muita tranquilidade, no lado contrário de Victor. Clayton bateu muito mal, facilitando a defesa do goleiro César. Dirceu foi para a bola e também marcou, com a bola passando por baixo de Victor. Rafael Moura foi para a bola e bateu fraco, para tranquila defesa do goleiro e herói César. O Londrina é o grande Campeão da Primeira Liga de 2017.  
Parabéns ao Londrina e sua torcida pela grande e merecida vitória.  
Um grande abraço espinosense.


Resumo da partida:
Londrina  0  x  0  Atlético (Pênaltis 4 x 2)
Estádio do Café
Quarta-feira, 4 de outubro de 2017 - 21h45
Cartões amarelos: Ayrton, Negueba e Jardel (Londrina); Adílson (Atlético)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Carlos Berckenbrok (SC) e Rafael da Silva Alves (RS)

Atlético: Victor, Alex Silva, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Adílson, Elias, Valdívia (Clayton) e Cazares (Marlone); Robinho e Fred (Rafael Moura).
Treinador: Oswaldo de Oliveira.

Londrina: César, Lucas Ramon, Dirceu, Edson Silva e Ayrton; Rômulo (Marcinho), Jumar e Jardel; Negueba, Carlos Henrique (Alisson Safira) e Artur.
Treinador: Cláudio Tencati.


Na caminhada até o título o Londrina enfrentou os seguintes adversários:
Primeira fase:
25-01-2017 - 19h00 -  Orlando Scarpelli
Figueirense  0  x  1  Londrina

31-01-2017 - 19h00 - Ressacada
Avaí  0  x  1  Londrina

21-02-2017 - 19h15 - Estádio do Café 
Londrina  2  x  1  Paraná

Quartas de final:
30-08-2017 - 19h30 - Estádio do Café
Londrina  2  x  0  Fluminense

Semifinal:
03-09-2017 - 11h00 - Estádio do Café
Londrina  2  x  2  Cruzeiro (Pênaltis 3  x  1)

Final:
04-10-2017 - 21h45 - Estádio do Café
Londrina  0   x  0  Atlético (Pênaltis 4 x 2)

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

1835 - Bingo, o Rei das Manhãs

É bem possível que muitos, ao ver o título do filme, se mostrem bastante desinteressados do seu conteúdo, pois afinal de contas, quem em sã consciência iria querer saber algo sobre um sujeito que trabalhava como o palhaço de um programinha infantil de televisão nos anos 80? Mas quem pensar assim, sem se interessar e se aprofundar na trama focada no filme, estará redondamente enganado. A história por trás desse personagem é muito rica em lições de vida.  
O filme "Bingo - O Rei das Manhãs", com duração de 113 minutos e classificação etária de 16 anos, em cartaz nos cinemas do país e indicado para entrar na lista dos concorrentes ao prêmio de melhor filme estrangeiro no Oscar 2018, é muito interessante. Para quem nunca ouviu falar da figura, Bingo (ou verdadeiramente o palhaço Bozo) foi um famoso personagem da TV americana trazido ao Brasil na década de 80. O filme conta a história do programa infantil que conseguiu, no pequeno canal do SBT de Sílvio Santos, bater a tão poderosa Vênus Platinada, ali travestida de Mundial, fato tornado possível pela atuação marcante e transgressora do ator Arlindo Barreto, interpretado de forma elogiável pelo Vladimir Brichta. Nas reviravoltas ocorridas na vida do primeiramente ator pornográfico, passando pela sua dificuldade em ganhar o papel e posteriormente com a fama e o sucesso estrondosos na pele do palhaço incógnito, o filme mostra os bastidores da TV, o mundo traiçoeiro do sucesso e as consequências da busca exacerbada da fama. O filho e pai carinhoso repentinamente torna-se um homem perdido em sessões de sexo e drogas, sem se preocupar com as consequências, um retrato notadamente comum entre integrantes do mundo artístico.  
O ator da vida real, Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade, nasceu em Ilhéus (Bahia) aos 19 de maio de 1953, filho da atriz e vedete Márcia de Windsor. Saiu do anonimato para o topo do sucesso na TV, mesmo sem poder ter a sua identidade conhecida do público, até se enfiar em uma espiral de loucura que só terminou com a luz advinda na descoberta da religião. Casou-se com a então produtora do programa Bozo, Elizabeth Locatelli, com quem teve dois filhos (Davi Gabriel e Stacy Lôyde), que se juntaram ao primeiro filho de relacionamento anterior (Diego Angelo). A relação amorosa se desfez após cerca de 30 anos de relacionamento. Atualmente o ator é pastor da Igreja Batista, levando sua história de vida e suas mensagens religiosas ainda fantasiado de palhaço.
Vale a pena deixar o conforto de casa e ir ao cinema assistir a este filme, uma boa surpresa do cinema nacional. A narrativa é bem legal, até um pouco pesada, mas muito verdadeira. Eu aposto que você não se arrependerá.
Um grande abraço espinosense.


Elenco de "Bingo - O Rei das Manhãs":

Augusto Mendes/Bingo (Vladimir Brichta)
Lúcia (Leandra Leal)
Vasconcelos (Augusto Madeira)
Martha Mendes (Ana Lúcia Torre)
Gabriel Mendes (Cauã Martins)
Peter Olsen (Soren Hellerup)
Gretchen (Emanuelle Araújo)
Angélica (Tainá Müller)
Direção: Daniel Rezende
Roteirista: Luiz Bolognesi


1834 - Tristeza em Espinosa

Gostaria muito de só publicar aqui no nosso blog notícias boas, de conquistas e de alegrias, mas a vida, infelizmente, não é assim. Os fatos tristes e dolorosos acontecem a todo momento e, mesmo com o coração tristonho, é necessário reportá-los. 
Normalmente as boas e más notícias de Espinosa me chegam através do Facebook, incompletas, incertas, muitas das vezes sem a possibilidade de checagem da veracidade dos fatos. Já aconteceu de eu ficar sabendo do falecimento de alguém querido ou conhecido somente meses ou anos depois do fato. Sendo assim, sempre fico na defensiva, com imenso receio de publicar algo que não seja verdadeiro, o que seria um desastre irreparável. Por isso, esta certa demora na publicação de certos acontecimentos.
E foi com muito pesar que tomei conhecimento da morte de Dona Alice, mãe dos meus amigos Alício e Cida e avó de Camila. Que Deus a receba de braços abertos em seu reino de paz. 


E foi com o mesmo sentimento que soube do terrível acidente rodoviário que tirou prematuramente a vida do jovem João Paulo Teixeira, irmão de minha amiga Paulinha. Que Deus o acolha com ternura nos céus.


Eu sei bem a dor que estão sentindo os familiares e amigos de Dona Alice e de João Paulo. Então, registro aqui os meus sinceros sentimentos de pesar, rogando a Deus para que lhes dê força, fé e resignação para aceitar esses acontecimentos do destino, impossíveis de ser evitados e entendidos. Que tenham ânimo, paciência e fé para prosseguirem firmes no caminho terrestre, tendo a certeza incontestável de que iremos seguir a mesma sina. Que Deus os proteja!
Um grande abraço espinosense.          

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

1833 - Cruzeiro é penta na Copa do Brasil!

A partida decisiva da Copa do Brasil de 2017 tinha tudo para ser um verdadeiro espetáculo do futebol, com o estádio do Mineirão completamente lotado e uma atuação de gala das equipes finalistas, Cruzeiro e Flamengo. E foi, em parte. Se nas arquibancadas o espetáculo aconteceu de verdade, em campo vimos uma partida tensa e pouco eletrizante, com poucas chances de gol para ambas as equipes, mas com emoção até o fim.
Mas antes do apito inicial do árbitro, a festa já acontecia nas dependências do Mineirão, com a animação total das torcidas. Em meio a tanta ansiedade e expectativa, a taça da Copa do Brasil foi levada a campo pelos ex-jogadores dos dois clubes, Júnior, pelo Flamengo, e Sorín, pelo Cruzeiro. Pouco tempo depois, foi a vez de a arbitragem e os atletas se dirigirem ao campo de jogo para a solenidade da execução do Hino Nacional Brasileiro, sob uma linda chuva de fogos de artifício que coloriu o céu de Belo Horizonte.


E começou a decisão! E para tristeza do jovem atacante cruzeirense Raniel, que teve a chance de entrar como titular na grande final, o jogo para ele se acabou com apenas 3 minutos em campo. Saiu contundido para a entrada de Arrascaeta. Logo em seguida, em cobrança de falta, Guerrero acertou o travessão de Fábio, na primeira grande chance de gol da partida. A primeira oportunidade do Cruzeiro surgiu aos 14 minutos com Arrascaeta batendo de perna esquerda pela linha de fundo. Nem 1 minuto depois, outra chance, desta vez com Thiago Neves, chutando por cima do gol de Alex Muralha. A partir desse momento, o jogo entrou em um equilíbrio estéril, com muita marcação no meio campo e poucas jogadas de perigo de lado a lado. Era nítido o medo dos jogadores de cometer quaisquer erros que pudessem proporcionar a abertura do placar pelo adversário. Aos 36 minutos, após uma perda de bola de Pará, o Cruzeiro quase marcou, novamente com Arrascaeta, que não conseguiu o domínio para finalizar com eficiência e com Muralha segurando com firmeza a bola. E assim terminou o primeiro tempo, sem maiores sobressaltos, mas mesmo assim com enorme ansiedade perceptível no rosto dos torcedores.
Teve início os 45 minutos finais. Se não houvesse vencedor até o final, teríamos as tão emocionantes cobranças de pênaltis. E o equilíbrio se manteve nos minutos iniciais do jogo, com prevalência dos defensores sobre os atacantes, sem muito espaço para a criação de jogadas de gol. Aos 28 minutos, Mano Menezes queimou a sua última cartada do banco de reservas, colocando o veloz atacante Élber no lugar de Alisson. No Flamengo, Rueda tirou Berrío para a entrada de Lucas Paquetá. Aos 33 minutos, um lance inusitado e perigosíssimo para o Flamengo. Após cobrança de escanteio pela esquerda, o goleiro Alex Muralha toca com a mão direita na bola e esta explode no rosto do Arrascaeta, quase indo para o fundo das redes rubro-negras. Quanto mais passava o tempo (e como passava rápido!), mais os times se lançavam para o ataque, na tentativa de marcar um gol e por fim à disputa ainda nos 90 minutos, já que o empate levaria a disputa para os pênaltis. Aos 42 minutos, um chutaço de Guerrero obriga o goleiro Fábio a realizar uma defesa espetacular. Nervosismo, contra-ataques, cansaço, sofrimento das torcidas. Decisão é sempre assim, tudo pode acontecer. Aos 45 minutos, o árbitro dá apenas mais 2 minutos de acréscimo. Nada de gol e a decisão foi mesmo para a decisão nos tiros livres diretos.
O Cruzeiro iniciou as cobranças, com Henrique marcando seu gol. Guerrero também marcou o seu pelo Flamengo. Léo bateu firme, sem defesa para Muralha. O veterano zagueiro rubro-negro Juan bateu com categoria e tranquilidade e marcou. Hudson correu para a bola confiante e também marcou. Diego bateu forte no canto direito, mas Fábio defendeu firme com o braço direito, evitando o gol do Flamengo. Diego Barbosa bateu no ângulo e colocou o Cruzeiro na frente. O título estava próximo da Toca da Raposa. Trauco converteu sua cobrança. O título estava nas mãos de Muralha e nos pés de Thiago Neves. E ele marcou, fazendo estremecer o Mineirão, deixando a torcida azul celeste completamente extasiada. O Cruzeiro é mais uma vez Campeão da Copa do Brasil.          


Além de enlouquecer de alegria a torcida e confirmar a participação na Libertadores de 2018, o título conquistado da Copa do Brasil valeu para o campeão Cruzeiro a quantia de R$ 6 milhões, enquanto o vice-campeão Flamengo ficou com apenas R$ 2 milhões. Há notícias de que o prêmio se elevará para R$ 50 milhões no próximo ano, o que certamente irá tornar ainda mais difícil a competição.
Parabéns à nação cruzeirense por mais uma grande conquista da Copa do Brasil, com todos os méritos. E parabéns também aos torcedores que, mesmo torcendo para times adversários, nesta ocasião Flamengo e Cruzeiro, mostraram que é possível sermos civilizados e conviver em paz e harmonia nos estádios.
Um grande abraço espinosense.


Resumo da partida:

Cruzeiro 0 x 0 Flamengo
5 x 4 nos pênaltis

Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Léo, Murilo e Diogo Barbosa; Hudson, Henrique, Thiago Neves e Robinho (Rafinha); Alisson (Élber) e Raniel (Arrascaeta). 
Treinador: Mano Menezes.

Flamengo: Alex Muralha; Pará, Juan, Réver e Trauco; Cuéllar, William Arão, Diego e Berrío (Rodinei); Everton (Lucas Paquetá) e Paolo Guerrero.
Treinador: Reinaldo Rueda.

Cartões:
Amarelos: Ezequiel e Hudson (Cruzeiro); Pará e Guerrero (Flamengo)

Arbitragem:
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP - FIFA)
Assistente 1: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP - FIFA)
Assistente 2: Danilo Ricardo Simon Manis (SP - FIFA)
Quarto árbitro: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP - CBF)
Assistente adicional 1: José Cláudio Rocha Filho (SP - CBF)
Assistente adicional 2: Adriano de Assis Miranda (SP - CBF)
Quinto árbitro: Gustavo Rodrigues de Oliveira (SP - CBF)
Analista de Campo: Cláudio Vinicius Cerdeira (BRA - CBF)

A trajetória dos times na competição:

O Cruzeiro, para chegar às finais da competição nacional de mata-matas, fez a seguinte campanha:
08-02-2017 - Volta Redonda 1 x 2 Cruzeiro (1ª fase)
22-02-2017 - São Francisco 0 x 6 Cruzeiro (2ª fase)
08-03-2017 - Murici 0 x 2 Cruzeiro (3ª fase)
15-03-2017 - Cruzeiro 3 x 0 Murici
12-04-2017 - Cruzeiro 2 x 0 São Paulo (4ª fase)
19-04-2017 - São Paulo 2 x 1 Cruzeiro
03-05-2017 - Cruzeiro 1 x 0 Chapecoense (oitavas-de-final)
01-06-2017 - Chapecoense 0 x 0 Cruzeiro
28-06-2017 - Palmeiras 3 x 3 Cruzeiro (Quartas-de-final)
26-07-2017 - Cruzeiro 1 x 1 Palmeiras
16-08-2017 - Grêmio 1 x 0 Cruzeiro (Semifinais)
23-08-2017 - Cruzeiro 1 x 0 Grêmio (Pênaltis 3 x 2)
07-09-2017 - Flamengo 1 x 1 Cruzeiro (Finais)
27-09-2017 - Cruzeiro   x  Flamengo
O Cruzeiro venceu quatro Copas do Brasil sobre:
1993 - Grêmio
1996 - Palmeiras
2000 - São Paulo
2003 - Flamengo
Perdeu outras duas finais: 1998 (Palmeiras) e 2014 (Atlético)

O Flamengo, para chegar às finais fez um caminho mais curto, entrando direto nas oitavas-de-final:
10-05-2017 - Flamengo 0 x 0 Atlético-GO (oitavas-de-final)
24-05-2017 - Atlético-GO 1 x 2 Flamengo
28-06-2017 - Flamengo 2 x 0 Santos (Quartas-de-final)
26-07-2017 - Santos 4 x 2 Flamengo
16-08-2017 - Botafogo 0 x 0 Flamengo (Semifinais)
23-08-2017 - Flamengo 1 x 0 Botafogo
07-09-2017 - Flamengo 1 x 1 Cruzeiro (Finais)
27-09-2017 - Cruzeiro  x  Flamengo
O Flamengo venceu três Copas do Brasil sobre: 
1990 - Goiás
2006 - Vasco da Gama
2013 - Atlético Paranaense
Perdeu outras três finais: 1997 (Grêmio), 2003 (Cruzeiro) e 2004 (Santo André) 

Artilheiros desta edição de 2017:
Lucas Barrios - (Grêmio) - 5 gols
Rafael Sóbis - (Cruzeiro) - 5 gols
Léo Gamalho - (Goiás) - 5 gols
Brenner - (Internacional) - 5 gols
Henrique Dourado - (Fluminense) - 4 gols
Bruno Henrique - (Santos) - 4 gols

1832 - Uilson Pedro Primo, mais um poeta espinosense de destaque

Espinosa é uma fonte inesgotável de grandes talentos em todas as áreas, como podemos comprovar com o destaque alcançado por muitos dos nossos conterrâneos pelo mundo afora. Fico imaginando então se mais possibilidades fossem permitidas a todos os cidadãos do nosso município desde a infância, quanto mais talentos seriam descobertos.
E hoje fui informado da existência de mais um poeta na nossa cidade. O Uilson Pedro Primo teve o seu poema "Canoeiro" classificado entre os 250 em um universo de 3.207 inscrições realizadas no Concurso Nacional Novos Poetas 2017, promovido pela Vivara Editora. O concurso, cujo tema é livre, recebeu a participação de poetas de todo o Brasil no período de 5 de junho a 5 de setembro de 2017, com a possibilidade de inscrição de 2 poemas inéditos, ainda não publicados em livro. 
Entre os 250 poemas classificados estava o de Uilson, mas assim ficou a premiação dos 3 primeiros:
1ª Colocação - WANDA CRISTINA DA CUNHA E SILVA, com o poema "Pesca(dor)". Ela recebeu a Medalha de Ouro, em ouro 18k;
2ª Colocação - MARVEN JUNIUS DA COSTA FRANKLIN, com o poema "Zepelins Imaginários". Ele recebeu a Medalha de Prata;
3ª Colocação - ROGÉRIO JOSÉ DA SILVA, com o poema "Meu Amor". Ele recebeu a Medalha de Bronze. 
Os outros colocados até a vigésima posição terão maior destaque no livro com edição de 5 mil exemplares que será publicado com os 250 poemas classificados.
Infelizmente não tenho como publicar o poema em questão, mas publico outro do mesmo autor que integrou o 30º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético. 
E fica aqui registrado o prazer de contar com mais um poeta na nossa cidade sempre tão carente de cultura. As mais recentes notícias da terrinha, entretanto, mostram uma mudança positiva neste quadro, o que é motivo de comemoração. 
Parabéns então ao Uilson pelo seu trabalho e amor à arte da poesia e que seu exemplo seja seguido pela nossa juventude. 
Quem quiser conhecer mais poesias do autor, basta acessar o endereço:  recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=153738.     
Um grande abraço espinosense.

CRUZ MUTILADA II

A cidade acordou
E já não estavas mais
De braços abertos
A contemplá-la
O povo olhou perplexo
O vazio no alto do morro
E percebeu que faltava
Alguma coisa
Era como se ninguém
Velasse-nos
Logo após veio a notícia
Estavas caída
Sozinha entre pedras e arbustos
E na noite escura
Ninguém pôde
Defendê-la da mão ímpia que
Desfechou golpes cruéis
Deixando-a mutilada
E jogada ao solo
Oh cruz! Tantos e tantos anos
Lá de cima do morro
Velando-nos
Desde o tempo dos meus avós
E agora estás aí, quebrada!
Levanta-te!
Não te deixas abater
Pelo vandalismo dos inconsequentes
A cidade perdeu
Um pedaço de sua identidade
Desmoronou nesse momento
Um pouco da tradição
De um povo
Oh cruzeiro!
Que sempre de braços abertos
Recebeu a todos
Sempre hospitaleiro
Foste apedrejado
Em vez de preservado
Mas Deus ouviu a minha prece
E teu povo não mediu esforços
Para reerguê-la
Na parte ferida pôs uma atadura
Para protegê-la
Hoje continuas firme
No cume do morro
Erguida de braços abertos
Numa visão panorâmica
A observar a cidade.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

1831 - Termina o Torneio Interno de Society 2017 da AABB Montes Claros

Após três meses de intensa disputa, eis que a edição 2017 do Torneio Interno de Futebol Society da Associação Atlética Banco do Brasil de Montes Claros chegou ao seu término na manhã do último domingo, 17 de setembro. Prestando homenagem ao empresário e fiel peladeiro do clube, Agamenon Victor Júnior, a competição desta temporada reuniu cerca de 450 associados amantes da bola em mais de 150 partidas em três categorias: Sênior, Máster e Adulto. Depois de muita luta, determinação, competência e eficiência em busca das vitórias, os grandes vencedores puderam finalmente levantar as taças de campeão e comemorar as justas conquistas.
Nesta edição os resultados das partidas finais surpreenderam a todos, sem nenhuma ocorrência de decisão nos pênaltis e com placares bem elásticos. Na categoria Sênior, a equipe do Quero Pizza sagrou-se campeã ao derrotar com folga a sua adversária na final, a equipe da Neném Veículos, pelo placar de 4 x 1. O grande destaque foi o excelente meio-campista Raul que marcou três gols, um deles de pênalti. Mauro completou para a equipe campeã e o atacante Castelo marcou para o time vice-campeão.
Foram esses os atletas campeões:
Quero Pizza: Eduardo, Fred, Robson, Marcão, Walter, Raul, Roni Wagner, Silvano, Roberto, Alexandre, Mauro Ramires, Niélson, Bigode, Adílson e Nestor.
Premiação: 
Campeão: Quero Pizza
Vice-Campeão: Neném Veículos
3º Colocado: Uai Tintas
Destaque: Raul (Quero Pizza)
Artilheiro: Aquino (Uai Tintas) - 11 gols
Melhor Goleiro: Eduardo (Quero Pizza)


Na categoria Máster, o time do homenageado e artilheiro da categoria, Agamenon, conquistou o título de campeão ao golear o time da Eletromontes pelo placar de 4 x 0.  Foram três gols de Agamenon e mais um golaço de falta de Héber, este escolhido o destaque geral. 
Foram esses os atletas campeões:
Cazza Imóveis: Thiago, Jean, Chau, Joélson, Magal, Wesley, Héber, Agamenon, Jean Paulo, Pedro, Vampeta, Péu, Fabrício, Rafael Dias e Carlos Eduardo.
Premiação: 
Campeão: Cazza Imóveis
Vice-Campeão: Eletromontes
3º Colocado: Atacadão Doce Lar
Destaque: Héber (Cazza Imóveis)
Artilheiro: Agamenon (Cazza Imóveis) - 12 gols
Melhor Goleiro: Thiago (Cazza Imóveis)


Na categoria Adulto, o talentoso e jovem elenco da equipe da Suporte Consultoria venceu o bravo adversário, Jac´s/Octoo, pelo placar de 3 x 1 e fez a festa da conquista no gramado. Jubinha, eleito o destaque da categoria, Almir e Gu marcaram os gols do Suporte, enquanto Rond descontou para o time do Jac´s/Octoo. 
Foram esses os atletas campeões:
Suporte Consultoria: Lê, Bidu, Franklin, Warley, Almir, Darley, Álisson, Muriel, Felipe, Moeda, Gu, Sarley e Jubinha.
Premiação: 
Campeão: Suporte Consultoria
Vice-Campeão: Jac´s/Octoo
3º Colocado: Uai Tintas
Destaque: Jubinha (Suporte Consultoria)
Artilheiro: Madeirinha (Uai Tintas) - 13 gols
Melhor Goleiro: Lê (Suporte Consultoria)
Atleta Revelação: Darley (Suporte Consultoria)
Melhor Árbitro: Edvaldo Bento


Como sempre acontece, logo após o encerramento dos jogos, ocorreu a entrega dos troféus e medalhas aos grandes vencedores pelos integrantes da diretoria da AABB comandada pelo presidente Mauro Rodrigues e em seguida todos os atletas, com seus familiares, participaram ativamente do grande churrasco de confraternização realizado na área dos quiosques, com muita bebida, comida, música, amizade e animação. Ano que vem tem de novo!
Um grande abraço espinosense.


terça-feira, 19 de setembro de 2017

1830 - Aleluia! Habemus Stadium!

Um dia histórico para a Massa Atleticana. A esperada decisão foi tomada pelos integrantes do Conselho Deliberativo do Atlético nesta segunda-feira em reunião extraordinária: o Clube Atlético Mineiro finalmente terá o seu sonhado estádio de futebol. Após semanas de debates acalorados sobre a viabilidade do negócio, eis que em uma votação ocorrida durante todo o dia de ontem, 18 de setembro, a maioria esmagadora dos conselheiros do clube decidiu apostar na concretização do sonho dos presidentes Alexandre Kalil e Daniel Nepomuceno, da diretoria e da torcida atleticana de viabilizar o próprio estádio. Havia a necessidade de, no mínimo, 260 votos positivos entre os 390 conselheiros. Ao final da votação, 12 votaram contra e a esmagadora maioria chancelou o projeto com 325 votos favoráveis. Coube ao ex-presidente Alexandre Kalil o voto de nº 260, que marcou a vitória do Sim.
A reunião contou com a presença, na mesa dos trabalhos, do presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno;  do presidente do Conselho Deliberativo, Rodolfo Gropen; do vice-presidente do Conselho, Sérgio Sette Câmara; do membro do Conselho de Ética e Disciplina, José Murilo Procópio de Carvalho; do membro do Conselho Fiscal, Sérgio Rodrigues Leonardo e do secretário do Conselho, Rogério Eustáquio Furtado da Costa.
Estiveram presentes e participaram da votação o prefeito de Belo Horizonte e ex-presidente do clube, Alexandre Kalil; o senador Antônio Anastasia; o jornalista Chico Pinheiro; os ex-presidentes Ricardo Guimarães, Ziza Valadares, Nélio Brant, Paulo Cury e Afonso Paulino e o assessor de relações institucionais e ex-presidente do Conselho Deliberativo, Emir Cadar. A torcida, que aprovava a ideia e mostrou seu apoio durante todo o tempo na porta da sede do clube no Bairro de Lourdes, comemorou bastante logo após a aprovação da proposta.




O negócio não vai mexer em nenhum centavo das receitas do clube, como também não envolverá empréstimos ou qualquer criação de dívida. Os recursos virão do patrimônio do clube e de novas injeções de dinheiro no projeto.
O estádio do Atlético, que será construído em uma área de aproximadamente 138 mil m² localizada em plena Via Expressa, perto da PUC, terá capacidade para 41.800 espectadores, com um custo de construção previsto de 410 milhões de reais. A partir de agora continuam os passos burocráticos e estudos de concessão de licenças para que o projeto se inicie o mais rápido possível, provavelmente a partir de março de 2018, com término previsto para outubro de 2020. A transação imobiliária, conforme informações da diretoria, não fará com que o clube coloque nenhum dinheiro no projeto. O terreno foi doado pela Construtora MRV e a grana para a construção do empreendimento virá da venda para a empresa Multiplan da metade do Shopping Diamond Mall (50,1%), valor de R$ 250 milhões; do dinheiro da venda de 4.800 cadeiras cativas, valor de R$ 100 milhões (o Banco BMG já garantiu o equivalente a 60% desse valor) e da aquisição do "naming rights" pela MRV, valor de R$ 60 milhões.
O projeto arquitetônico do estádio terá setores de camarotes (36 no total), setores de cadeiras e espaço para torcedores de baixo poder econômico, com preços acessíveis, como eram as famosas "gerais". Os possuidores de deficiências terão acesso a todo o estádio, sem nenhum impedimento a qualquer setor. Serão disponibilizados 2 restaurantes e 46 bares e mais uma área vip/lounge com capacidade de receber 3.645 torcedores. Para que todos os torcedores atleticanos possam acompanhar a construção da arena, será criado um site com atualização "real time" da evolução da obra.
É um antigo sonho que finalmente parece estar próximo da realização. Esperamos ansiosos, nós torcedores atleticanos, que a Arena MRV, ou o Terreiro do Galo, saia das pranchetas dos arquitetos e engenheiros e enfim venha nos abrigar em suas dependências, onde brevemente poderemos soltar com a paixão e a alegria de sempre, o memorável e temido grito de Galô.
Um grande abraço espinosense.  



segunda-feira, 18 de setembro de 2017

1829 - Prestigie a 1ª Fenesp - Feira de Negócios de Espinosa

Estive há poucos dias em Espinosa e no pouco tempo disponível para apreciar os panoramas social e econômico da cidade, pude perceber uma grande mudança positiva na mentalidade empresarial local. Por onde andei, vi lojas bonitas e bem montadas, com funcionários competentes, uniformizados e bem treinados. Até a Prefeitura Municipal está oferecendo cursos de aperfeiçoamento aos seus funcionários para a melhoria do atendimento aos cidadãos espinosenses. Isto é motivo de muita comemoração. 
Mesmo sem ter conhecimento profundo sobre essa transformação, imagino que a atuação das Associação Comercial e Empresarial (ACE) e Câmara de Dirigentes Lojistas de Espinosa (CDL), bem como a visão, a capacidade e a liderança do empresário Lucivaldo Barros Lima, foram de fundamental importância para este especial desenvolvimento dos setores industrial e comercial de Espinosa. Atualmente temos empresários de grande destaque não só na cidade, como em toda a região norte-mineira e no sudoeste baiano, o que é motivo de orgulho e alegria, pois além de fazer crescer a economia espinosense, ainda gera emprego para a nossa comunidade.
Para fazer crescer ainda mais esse panorama de desenvolvimento municipal, a cidade sediará, nos dias 22 e 23 de setembro (sexta-feira e sábado próximos), a 1ª FENESP - Feira de Negócios de Espinosa, evento realizado pela ACE e CDL e apoiado pela Prefeitura Municipal, ADESEG, SEEDIF, SEBRAE e FIEMG. Nele, as empresas locais e da região poderão mostrar seu trabalho, reforçar sua marca, lançar novos produtos e prospectar negócios. O evento é uma apresentação da Arruda Alimentos, do Bom Preço Auto Posto e da Farmácia dos Animais e acontecerá na Praça Antonino Neves, também conhecida como Praça da Liberdade, na sexta-feira, dia 22 de setembro, de 19 às 22 horas, e no sábado, dia 23 de setembro, das 7 da manhã até às 22 horas. 
Patrocinam o evento as empresas: Computec Informática, Dino Modas, Gemaq Irrigação, Hotel Vilma, Marcelo Despachante, Milk Shake Açaí Mania, Oral Máster, Posto Lima, Restaurante Parada Obrigatória, Seg Eletric e Supermercado Miranda. 
São estas as empresas expositoras: Alfa Confecções, Aliv-Ar, Amil Indústria, D'Jack Jeans, Eletronorte Irrigação, Favag, Fiemg, Fopemimpe, Grupo Costurar, Grupo Dejan, Ludus, Minas Bahia, Portal Design, Prefeitura Municipal, Rede Norte, Sicoob e Sudotex.


Além de estandes dos patrocinadores, haverá desfile de modas das confecções de Espinosa e eleição da nova Miss Comerciária, escolhida entre as nove concorrentes ao título: Beatriz Ribeiro (Brasil Celular), Carla Daniele (Computec Informática), Danielly Pricila (Droga Nossa), Edvânia dos Santos (Amil Confecções), Fernanda Nogueira (Droga Nossa), Leila Oliveira (Doce Lar), Léssia Marques (Eletronorte Irrigação), Márcia Barbosa (O Barateiro) e Shirley Santana (Panificadora Trigo de Ouro). 
OBS: Informações retiradas da página da ACE-CDL no Facebook.   
Então, povo espinosense e de toda a nossa região, vamos prestigiar mais esse evento que só engrandece a nossa terra, mostrando a força dos nossos empreendedores e trabalhadores. Vamos lá!
Um grande abraço espinosense.



1828 - Espinosense Gentil Saraiva Júnior lança novo livro

Quanto orgulho! Se já temos tantos conterrâneos nos dando enorme satisfação nos mais variados setores do esporte, do conhecimento e da arte, eis que mais uma notícia me chega trazendo ainda mais alegria. Através de uma dica da amiga espinosense Cristina Cangussu Tolentino Grossi, a Tina, casada com meu amigo e colega de banco Cláudio Renault, fui informado do incrível trabalho realizado pelo espinosense Gentil Saraiva Júnior no campo da literatura. Depois de 29 anos de intensa e laboriosa labuta com as palavras, o professor Gentil Jr. finalmente completou sua tradução do livro do aclamado poeta americano Walt Whitman, "Folhas de Relva". 
O autor da tradução, filho do Seu Gentil Saraiva (que morava ao lado da Casa Paroquial, bem no centro da cidade, na Praça Coronel Joaquim Tolentino), desde cedo tinha apreço pela leitura, lendo romances como Dom Casmurro (de Machado de Assis), revistas e livros de bolso de faroeste. Em seguida descobriu a poesia quando se preparava para o vestibular. Daí em diante o amor pelas palavras só cresceu e hoje é parte inseparável do seu ser. A descoberta da obra de Walt Whitman se deu através de um amigo e colega de faculdade na UFRGS, o que o levou a sonhar em traduzir a complexa criação do poeta americano. 

Walt Whitman

Um pouquinho sobre a vida e obra do poeta americano conforme o site wdl.org:
"Walt Whitman (1819–1892) é normalmente considerado o mais importante poeta americano do século XIX. Ele publicou a primeira edição de sua principal obra, Leaves of Grass (Folhas de Relva), em 1855. Pelo restante de sua vida, Whitman produziu novas edições do livro, terminando com a nona edição, ou edição do "leito de morte", em 1891-1892. O que começou como um livro fino de 12 poemas, tornou-se, no final de sua vida, um compêndio grosso de quase 400 poemas. Whitman considerava cada versão como um livro próprio e distinto e alterava o conteúdo de forma contínua. Ele adicionou novos poemas, deu nome ou renomeou antigos e, até 1881, os reagrupou várias vezes. Ele desenvolveu a tipografia, adicionou anexos, reescreveu as frases e alterou a pontuação tornando cada edição única." 


Gentil Saraiva Júnior, nascido em Espinosa há 49 anos, é professor, tradutor, poeta, escritor e editor, graduado em Letras - Licenciatura Plena (Português-Inglês-1991) e com Mestrado (1995) e Doutorado (2008) em Tradução Literária/Poética pela UFRGS. Esta sua importante obra com 490 páginas, "Folhas de Relva: Tradução Completa da Nona e Última Edição [1891-92]", foi lançada recentemente e pode ser adquirida no site da livraria online Amazon. O texto fonte utilizado nesta tradução é a Edição do Leito de Morte (Deathbed Edition), de 1891-92 do poeta Walt Whitman.
Mais livros publicados do escritor: 
- Música de Câmara, primeiro livro de poemas de James Joyce (edição bilíngue)
- Rubaiyat de Omar Khayyam (edição bilíngue)
- Gramática Bilíngue (Inglês-Português / Nível Intermediário)
- Gramática Essencial da Língua Inglesa (Básico-Pré-Intermdiário)
- Glossário de Inglês Técnico para Informática e Outras Listas 
- Gramática do Português Atual (em conjunto com Janio José Sarmento)
- Versificação em Português (descrição e exemplos dos versos existentes na língua portuguesa)
- Contos de Palavras (coletânea de artigos sobre palavras incomuns em português)
- Semente de Estrelas (livro de poesia)
- Canto do Amor Em Si (livro de poesia)
- O Portal Sem Porta (tradução de coletânea de koans/contos zen)
- Arquivo da Falésia Azul (tradução de coletânea de koans/contos zen)


Como é bom saber que conterrâneos nossos, espalhados pelos quatro cantos do mundo, destacam-se nas suas atividades! Fica aqui registrado o nosso carinho e orgulho pelo grande espinosense Gentil Saraiva Júnior que, com sua trajetória ímpar no campo do saber, serve de exemplo de extrema positividade para todos nós.
Um grande abraço espinosense.


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

1827 - Um casamento dos sonhos: Carol e Bruno

Quanta alegria! Carol e Bruno se casaram. Já se passaram alguns dias desde que os jovens Ana Carolina Alexandre Ferreira e Bruno Rocha Nogueira oficializaram a sua união amorosa. Ela é filha de Carlos Sebastião Ferreira e de Zenaide Alves Alexandre. Ele é filho de Rodrigo de Vasconcelos Nogueira e Carla Maria Costa Rocha. O casamento dos dois jovens se deu em um cenário deslumbrante, exatamente nas belas dependências da Fazenda Fonte Limpa, localizada entre as montanhas no município mineiro de Santana dos Montes (antigo arraial do Morro do Chapéu), a 130 km de Belo Horizonte, sentido Rio de Janeiro. A cidade é pequenina, conta com pouco mais de 3.800 habitantes. Foi emancipada em 30 de dezembro de 1962 e tornou-se um recanto para quem deseja descansar do estresse do mundo moderno, com seus tantos hotéis-fazenda de rara beleza. A sua história se fez com a agricultura e pecuária, gerando alimentos para suprir a demanda das cidades próximas onde se extraíam ouro e diamantes. Já naquela época as grandes fazendas possuíam completas estruturas, com as casas-grandes, senzalas, moinhos e engenhos. O complexo da Fazenda Fonte Limpa, construído por volta de 1742, é declarado Monumento Histórico e Artístico de Minas Gerais desde 1995 e passou a acolher hóspedes a partir do ano de 1997, agregando modernidades para atendimento e satisfação dos turistas, mas mantendo as características das velhas construções em pedra, madeira e barro originais.


E foi nesse ambiente lindo e acolhedor, rodeado de enormes árvores, do canto dos pássaros, de muita história e de uma atmosfera de imensa alegria e descontração que foi realizado o casamento de Carol e Bruno. Decoração caprichada, cerimônia ao ar livre, cheia de emoção, música, carinho e alto astral, assim o juiz de paz, o senhor Paulo Teixeira Pires, e a oficial substituta do Cartório de Registro Civil e de Notas de Santana dos Montes, senhora Rosana Cristina Nogueira Ribeiro Dutra, oficializaram a união dos tão entusiasmados jovens.
Ali mesmo na Fonte Limpa, só que em outro ambiente também ao ar livre, após a cerimônia do casamento, foi realizada a celebração da união do casal, com participação empolgada dos familiares e amigos dos noivos, com muita música, comes e bebes e animação.





Aos novos integrantes do time dos casados, Carol e Bruno, o agradecimento pela oportunidade de estar presente e o desejo ardente de vê-los felizes, compartilhando todos os momentos e situações do relacionamento a dois com muito carinho, cumplicidade, empatia, respeito e amor até a eternidade. Que Deus os abençoe com toda sua graça e os faça muito, mas muito mesmo, felizes.
Um grande abraço espinosense.


1826 - Vamos apoiar a Isabella e sua banda Soul Reaction?

Descobrir novos talentos na música ou em qualquer outra área do conhecimento, do esporte ou da arte sempre é motivo de muita alegria. E através de um contato feito através do Facebook pelo amigo e conterrâneo Francisco Mourão Neto, o Chiquito, tomei conhecimento da participação da sua filha Isabella Neves como vocalista da banda "Soul Reaction". A banda está participando de um concurso, o "Festival de Escolas de Música Expomusic", que "foi criado com o objetivo de incentivar o estudo da música, a composição, motivar a criação de bandas e descobrir novos talentos" e que acontece durante a Expomusic - Feira Internacional da Música, Áudio, Iluminação e Acessórios nos dias 4 a 8 de outubro no Anhembi em São Paulo.
A turma do Soul Reaction está na disputa pelo primeiro lugar na competição musical com a canção "Despertar", que vocês podem assistir no vídeo abaixo.
Para que o vídeo tenha a maior divulgação possível, pedimos encarecidamente a vocês, internautas deste nosso humilde blog, que assistam ao vídeo, compartilhem com seus amigos e registrem sua opinião clicando no símbolo da mãozinha com o dedinho pra cima, sinalizando que gostaram. Desde já fica o agradecimento pelo apoio à Isabella e à sua turma. Valeu, muito obrigado!
Um grande abraço espinosense.

Compositor: Vinih Edu
Edição: Vinih Edu
Vocal: Isabella Neves
Guitarras: Vinih Edu/Gabriel Essake
Baixo: Danilo Cardoso
Bateria: Cleiton Roberto
Câmera: Mayra Gabriela
Estúdio: Big Rec Studio

Despertar (Soul Reaction)

Não vou deixar que passe à toa
Já fui longe em esperar
Como o vento, brisa boa
Com minha mente tranquila

Deixa o som rolar
Pra relaxar minha cabeça
Vem apressar o que é natural
Ah! se eu pudesse
Voltar no tempo
Pular as coisas tolas
E assim eu enfrento sem medo de amar
Como se não houvesse amanhã

É minha vida
Tristeza não vai rolar
Há uma saída
Despertar
E ficar alerta

Não vou
Deixar que passe à toa
Já fui longe em esperar
Como o vento, brisa boa
Mente tranquila


quarta-feira, 13 de setembro de 2017

1825 - Domingo tem a 2ª Trilha das Furiosas

O dia está chegando! Logo mais, no próximo domingo (daqui a 4 dias portanto), Espinosa irá sediar mais um importante evento de motociclismo realizado pela equipe feminina das Furiosas Sobre Rodas. O grupo de mulheres apaixonadas pelas máquinas de duas rodas organizaram, promoveram e agora, no dia 17 de setembro, domingo, participarão, com todo o entusiasmo, alegria e perícia, de mais uma aventura na trilha, com a festa acontecendo no Pesqueiro Quedas D´Água. 
Se você pretende participar, assistir ou conseguir mais informações, basta entrar em contato com Leka Gomes, no telefone (38) 99221-9873, ou com Tábita Luana, no telefone (38) 99149-2044.
Após a adrenalina da competição, que pretende ter início às 8 horas da manhã, a festa ficará por conta dos talentosos músicos espinosenses Ralysson e Robson. É curtição na certa! Não percam!
Um grande abraço espinosense.


1824 - "Lift", by Radiohead

Ainda do recente álbum lançado pelo Radiohead que comemora os 20 anos de lançamento do clássico OK Computer, eis a canção "Lift", em um vídeo de incrível criatividade. O líder da banda, cantor e compositor Thom Yorke aparece em uma interessante viagem em um elevador de edifício em companhia dos mais variados tipos enquanto as mais diferentes e inusitadas imagens aparecem quando a porta se abre. A genial direção do clipe é de Oscar Hudson.
Muito legal mesmo! Ainda existe vida inteligente na música, ufa!
"Hoje é o primeiro dia do resto dos seus dias,
Então vai com calma, cara!"
Um grande abraço espinosense.




Lift (Radiohead)

This is the place
Sit down, you're safe now
You've been stuck in a lift
We've been trying to reach you, Thom

This is the place
It won't hurt, it will not hurt

A smell of recognition
A face you barely loved
Empty all your pockets
'Cause it's time to go home

This is the place
Remembering all the things you always see

You've been stuck in a lift
In the belly of a whale
At the bottom of the ocean

A smell of recognition
A face you barely loved
Empty all your pockets
'Cause it's time to go home

Today is the first day of the rest of your days
So lighten up, squirt


Elevador (Radiohead)

Esse é o lugar
Sente-se, você está a salvo agora
Você está preso num elevador
Nós estamos tentando te alcançar, Thom

Esse é o lugar
Não vai doer, não vai doer

Um cheiro de reconhecimento
Um rosto que você mal amou
Esvazie todos os seus bolsos
Porque está na hora de ir pra casa

Esse é o lugar
Lembrando-se de tudo que você sempre vê

Você está preso num elevador
Na barriga de uma baleia
No fundo do oceano

Um cheiro de reconhecimento
Um rosto que você mal amou
Esvazie todos os seus bolsos
Porque está na hora de ir pra casa

Hoje é o primeiro dia do resto dos seus dias
Então vai com calma, cara

terça-feira, 12 de setembro de 2017

1823 - Barretos, a capital do rodeio

A cidade paulista de Barretos é hoje conhecida mundialmente por sediar a maior festa de peão da América Latina, um evento gigantesco de entretenimento direcionado aos amantes da vida sertaneja que reúne mais de 900 mil pessoas anualmente. A festa acontece há 62 anos, atualmente realizada no Parque do Peão, uma enorme estrutura de 2 milhões de metros quadrados que oferece ao público 40 mil vagas de estacionamento, 35 mil lugares sentados, conjunto de quatro telões de LED de 25 metros quadrados cada, cerca de 3 mil animais de competição, mil sanitários de alvenaria, posto de atendimento médico, farmácia, dois mini-shoppings, centro de atendimento ao turista, 96 telefones públicos, dois campings (um para casados, outro para solteiros) que contam com iluminação própria, ligações de energia, pias e seguranças e com capacidade para abrigar 15 mil pessoas, parque de diversões, feira comercial com 300 expositores, feira gastronômica e até um heliporto.
Mas nem sempre foi assim, esse gigantismo todo. Tudo começou em 1955, quando 20 jovens solteiros e bem sucedidos se reuniram e criaram o grupo "Os Independentes", com a ideia de promover festas com o tema sertanejo e arrecadar recursos para doação às entidades beneficentes locais. Logo no ano seguinte, 1956, eles promoveram a 1ª Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, ainda sem muita organização, realizada sob a lona de um circo velho no Recinto Paulo de Lima Correa. A partir daí, de acordo com o crescimento da festa, outros locais foram utilizados até que no ano de 1981 o presidente dos "Independentes", Daniel Bampa Neto, resolveu comprar um terreno de 40 alqueires fora da cidade para criar um espaço único para a realização da festa que só crescia em importância e participação popular. E foi o visionário presidente Mussa Callil Neto que fez-se tornar realidade, com projeto do renomado arquiteto Oscar Niemeyer, a estrutura atual do Parque do Peão.
Para contar um pouco dessa rica história, a Ambev, produtora da cerveja Brahma, produziu um documentário em parceria com a Vice Brasil, o filme "Barretos: Capital do Brasil", que foi lançado durante o evento deste ano, realizado em agosto. Vale a pena assistir, mesmo quem não gosta muito do universo sertanejo como eu.
Um grande abraço espinosense.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

1822 - Desfile da Independência em Espinosa

Debaixo do sol causticante da manhã do feriado da quinta-feira que comemorou a Independência do Brasil, os jovens estudantes espinosenses marcharam pelas ruas, praças e avenidas da cidade de Espinosa, passando em frente ao palanque onde estavam as maiores autoridades da administração pública, entre elas o prefeito municipal Mílton Barbosa Lima.
Com participação maciça de alunos e professores das várias escolas da cidade, o desfile, belo e deveras criativo, abrilhantou a festa cívica e tentou demonstrar o amor e o respeito do corpo discente pelo país, mesmo em tristes tempos de processos obscenos na política em que milhões são desviados dos cofres públicos em proveito de poucos privilegiados canalhas.
É sempre gratificante assistir ao espetáculo da homenagem ao país feita pelos estudantes e professores, mas como não sou hipócrita, confesso nunca ter gostado de participar desse verdadeiro suplício. São horas e horas de espera e marcha sob um sol escaldante e, em outras eras, com discursos quilométricos de algumas autoridades. Lembro-me bem que quando o grande orador, já falecido, Senhor Geraldo Anacleto se apossava do microfone para fazer o seu discurso, a gente já desanimava por completo por saber que aquilo seria bastante demorado. Honestamente, não tenho a mínima saudade desse tormento. Mas atualmente, pelo menos para mim, é satisfatório perceber a dedicação e a criatividade dos mestres na organização do desfile e também uma ótima chance de reencontrar pessoas que há muito tempo não via, como meu amigo Bá. Gratificante isso, mesmo. Fica aqui registrado os meus parabéns a todos os envolvidos nesta festa da cidadania.



O Hino da Independência é uma canção patriótica oficial que foi criada para comemorar a declaração da independência do Brasil. A música foi composta em 1822 por Dom Pedro I e a letra é do poeta Evaristo da Veiga. Coincidentemente o ano da sua criação, 1822, é o mesmo do número desta postagem.
Um grande abraço espinosense.



Hino da Independência
1
Já podeis da Pátria filhos,
Ver contente a Mãe gentil!
Já raiou a Liberdade
No horizonte do Brasil,
Já raiou a Liberdade
Já raiou a Liberdade
No horizonte do Brasil!
Refrão
Brava gente brasileira
Longe vá, temor servil;
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.
Ou ficar a Pátria livre,
Ou morrer pelo Brasil.
2
Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil,
Houve mão mais poderosa,
Zombou deles o Brasil.
Houve mão mais poderosa
Houve mão mais poderosa
Zombou deles o Brasil.
(Refrão)
3
O real herdeiro Augusto
Conhecendo o engano vil,
Em despeito dos tiranos
Quis ficar no seu Brasil.
Em despeito dos tiranos
Em despeito dos tiranos
Quis ficar no seu Brasil.
(Refrão)
4
Ressoavam sombras tristes
Da cruel Guerra Civil,
Mas fugiram apressadas
Vendo o anjo do Brasil.
Mas fugiram apressadas
Mas fugiram apressadas
Vendo o anjo do Brasil.
(Refrão)
5
Mal soou na serra ao longe
Nosso grito varonil;
Nos imensos ombros logo
A cabeça ergue o Brasil.
Nos imensos ombros logo
Nos imensos ombros logo
A cabeça ergue o Brasil.
(Refrão)
6
Filhos clama, caros filhos,
E depois de afrontas mil,
Que a vingar a negra injúria
Vem chamar-vos o Brasil.
Que a vingar a negra injúria
Que a vingar a negra injúria
Vem chamar-vos o Brasil.
(Refrão)
7
Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil:
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.
Vossos peitos, vossos braços
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.
(Refrão)
8
Mostra Pedro a vossa fronte
Alma intrépida e viril:
Tende nele o digno chefe
Deste Império do Brasil.
Tende nele o digno chefe
Tende nele o digno chefe
Deste Império do Brasil.
(Refrão)
9
Parabéns, oh brasileiros,
Já com garbo varonil
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.
Do universo entre as nações
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.
(Refrão)
10
Parabéns; já somos livres;
Já brilhante, e senhoril
Vai juntar-se em nossos lares
A assembleia do Brasil.
Vai juntar-se em nossos lares
Vai juntar-se em nossos lares
A assembléia do Brasil.
(Refrão)

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

1821 - "You’re The Best Thing About Me", do U2

Não há nenhuma dúvida. Se vem do U2, pode apostar que é coisa boa. E é assim, com ótima qualidade na produção, a mais nova canção do quarteto irlandês divulgada há poucas horas na Internet. A música chama-se "You're The Best Thing About Me" e faz parte do novo álbum da melhor banda de rock da atualidade a ser lançado em breve, intitulado "Songs of Experience". Outra canção do disco, "The Blackout", foi divulgada no mês passado.
Tanto este novo álbum quanto o anterior, "Songs of Innocence", tiveram inspiração na coletânea de poemas "Songs of Innocence and of Experience", de 1789, de William Blake.
Um grande abraço espinosense.

You're The Best Thing About Me (U2)

When you look so good
The pain in your face doesn't show
When you look so good
And baby, you don't even know
When the world is ours
But the world is not your kind of thing
Full of shooting stars
Brighter as they're vanishing
Oh you've seen enough
To know it's children who teach
You're still free enough
To wake up on a bed or a beach

You're the best thing about me
The best thing that ever happened a boy
You're the best thing about me
I'm the kind of trouble that you enjoy
You're the best thing about me
The best things are easy to destroy
You're the best thing about me
The best thing about me

I been crying out
"how bad can a good time be? "
Shooting off my mouth
That's another great thing about me
I have everything
but I feel like nothing at all
There's no risky thing
for a man who's determined to fall

You're the best thing about me
The best thing that ever happened a boy
You're the best thing about me
I'm the kind of trouble that you enjoy
You're the best thing about me
The best things are easy to destroy
You're the best thing about me

Why am I
Why am I walking away? (Walking away)
Why am I walking away?

I can see it all so clearly
I can see what you can't see
I can see you love her loudly
When she needs you quietly

You're the best thing about me
The best things are easy to destroy
You're the best thing about me

Why am I
Why am I walking away? (walking away)
Why am I walking away